“Como é sabido, Itajaí é uma das cidades que mais crescem no País ####”Além disso, Florianópolis se apresenta (e será cada vez mais), como um polo turístico…” Entrevista Exclusiva: Federico Balmas – Diretor Geral para o Brasil da ITA – Italian Trade Agency

0
162

 


 

Foto 1

A Itália está ligada ao Brasil, assim como o Brasil está ligado com a Itália. Bom, a imigração italiana para o Brasil criou um vínculo muito forte entre os dois países. Hoje, empresários do Brasil buscam experiências empresarias, comunitárias e tecnologias na Itália. Recentemente uma comitiva de catarinenses estive em solo italiano para ver de perto o modelo de marinas. E também passaram pelo Salão Náutico de Gênova. Esta ação já é um intercambio empresarial entre os dois países.
O Dr. Federico Balmas – Diretor Geral para o Brasil da ITA – Italian Trade Agency – concedeu esta entrevista exclusiva ao site/jornal/revista Regata News.


Adilson Pacheco
Editor



 

Crédito Fotos usadas no vídeo: Comitiva de Empresários Catarinense,Salão Náutico de Gênova

 

Regata News -Como nasceu esta parceria entre a Itália e Santa Catarina? Este relação já rendeu a vinda de quantas empresas para cá – ou é somente no campo da troca de experiências?

Federico Balmas– A colaboração entre Itália e Brasil no campo náutico e de modo especial, entre as Instituições italianas e o Estado de Santa Catarina, que já vem de alguns anos, permitiu diversos momentos de encontros e intercâmbio. Em junho de 2011 foi elaborado e assinado um primeiro ‘Memorandum of Understanding’ (MoU) entre o Governo de Santa Catarina, o Ministério de Desenvolvimento Econômico Italiano e a UCINA – União Nacional dos Construtores da Indústria Náutica. Em 2013, uma missão comercial contando com 16 empreendedores italianos, visitou e realizou encontros de negócios em Florianópolis com cerca de 60 empresas locais.
No período de 2012-2015, o escritório do ICE de São Paulo organizou quatro visitas ao Salão Náutico de Gênova, totalizando mais de 30 empresários catarinenses e autoridades diversas, que participaram a convite do ICE.
No presente ano, com uma renovação do grupo de trabalho (previsto no MoU) e, sobretudo, por ocasião da realização da primeira edição da feira náutica ítalo-brasileira FIMAR, estamos certos de que a colaboração será efetivamente acrescida de um salto de qualidade significativo.


 

Regata News –Estamos observando que os países do primeiro mundo como a Itália tem se voltado para o Brasil e em especial para Santa Catarina. Por exemplo entre outras, vimos a instalação da Azimut Benetti em Itajaí – o mercado brasileiro é interessante para o empresário italiano? Qual é a razão principal do interesse do empresário italiano em investir em terras catarinense.

Federico Balmas- O estado de Santa Catarina apresenta uma localização privilegiada no Mercosul, no meio do caminho entre os dois maiores polos industriais do continente, São Paulo e Buenos Aires. Em particular Santa Catarina, além de seus 25 canteiros de obras ativos, é o estado brasileiro com o maior número de portos distribuídos ao longo de mais de 500 quilômetros de costa; possui cinco portos bem equipados (São Francisco do Sul, Itajaí, Imbituba, Navegantes e Itapoá), no total dos 37 portos existentes no Brasil, o que torna Santa Catarina o segundo polo náutico do Brasil. Além disso, Florianópolis se apresenta (e será cada vez mais), como um polo turístico e nesse setor são evidentes as complementaridades com o setor náutico desportivo.


 

Regata News -3. Salão de Gênova – é um grande momento para o mercado náutico mundial – diante deste contexto como o senhor está vendo o mercado náutico?

Federico Balmas- Otimismo, satisfação, participação: pode ser resumido com essas três palavras a 55ª edição do Salão Náutico de Genova Um Salone que confirma – aliás supera – as grandes expectativas da véspera, entre o entusiasmo dos operadores, organizadores e visitantes. “Voltamos a vender, não só a promover. A satisfação é evidente em todos os segmentos do setor. Os italianos voltaram a comprar barcos de todos os tamanhos, e isso foi uma grande surpresa“, estas são as declarações de Carla Demaria, presidente da UCINA, a confederação das industrias da náutica da Itália, fazendo um balanço dos seis dias da manifestação.


 

“Como sabido, Itajaí é uma das cidades que mais crescem no País. Com a chegada de grandes estaleiros na cidade e a construção da Marina de Itajaí, que está em obras, a cidade tende a se reafirmar ainda mais como polo náutico”


 

Regata News – Santa Catarina é um dos polos náutico do Brasil e vem crescendo significante neste setor com novas empresas, eventos náuticos do porte da Transat Jacques Vabre, da Volvo Ocean Race – este tipo de evento náutico acaba motivando os italianos vir para Santa Catarina, para o Brasil?

Federico BalmasSim, interessa muito. Tanto que para 2016 entendemos assegurar a presença italiana na 2a. Edição da Feira Fimar que ocorrerá em Itajaí / SC. Como sabido, Itajaí é uma das cidades que mais crescem no País. Com a chegada de grandes estaleiros na cidade e a construção da Marina de Itajaí, que está em obras, a cidade tende a se reafirmar ainda mais como polo náutico.


 

Regata NewsO catarinense e em especial a região sul de Santa Catarina foi colonizada por imigrantes italianos – vocês desenvolvem algum programa nestas comunidades?

Federico Balmas– O ITA atua em estreito contato com os governos das diversas regiões italianas, câmaras de comércio, indústria, artesanato e agricultura, organizações empresariais e outras entidades públicas e privadas, italianas e estrangeiras, de acordo com uma linha de pensamento e estratégia, em matéria de promoção e internacionalização das empresas, estabelecida conjuntamente entre o Ministério Italiano das Relações Internacionais e o Ministério Italiano do Desenvolvimento Econômico. No Brasil, um dos principais parceiros econômicos da Itália, a Agência atende anualmente a mais de 2.500 solicitações provenientes de empresas italianas interessadas em estabelecer-se no país por meio de atividades comerciais e industriais, em todos os segmentos econômicos. Entre essas empresas, um grande número participa das cerca de 60 atividades promocionais realizadas anualmente. Nossos programas para o estado de Santa Catarina são, portanto, fortemente caracterizados por uma impostação econômica e, por isso, são orientados para objetivos específicos, que muitas vezes incluem também operadores econômicos descendentes de italianos.


 

Regata NewsSanta Catarina está se voltando para o mar – está ainda iniciando a implantação de suas marinas. A Itália tem quantas marinas e o que gera em termos de emprego e renda?

Federico Balmas– São cerca 2.500 as empresas italianas que operam no setor (estaleiros, fabricantes de peças, componentes e acessórios), com quase 20.000 funcionários.


 

“Nossos programas para o estado de Santa Catarina são, portanto, fortemente caracterizados por uma impostação econômica e, por isso, são orientados para objetivos específicos, que muitas vezes incluem também operadores econômicos descendentes de italianos”


 

Regata News -Quais benefícios que o governo italiano proporciona para o empresário que quer investir na implantação de uma marina? Estaleiros para produção de barcos?

Federico Balmas– Por meio de uma rede 81 escritório espalhados pelo mundo, instalados no interior de embaixadas e consulados dos principais centros econômicos, o ITA – Italian Trade Agency, garante apoio abrangente às empresas italianas que desejam atuar no exterior, fornecendo lhes informações de caráter econômico, legal, fiscal e mercadológico, identificando parceiros e oportunidades de negócios, prestando serviços de consultoria personalizados e realizando um acurado plano de ações promocionais, que incluem a realização de Pavilhões Oficiais Italianos em exposições internacionais, a organização de missões de empresários e jornalistas estrangeiros à Itália, bem como de italianos ao exterior, a gestão de cursos e palestras e o desenvolvimento de campanhas publicitárias em veículos econômicos e dirigidos. Além disso, o governo italiano suporta as atividades internacionais das empresas italianas através da SIMEST, instituição financeira pública que atua no desenvolvimento de projetos produtivos no exterior, e a SACE, agência de seguro de crédito do governo da Itália.


 

Regata NewsO senhor tem uma previsão de quanto o salão náutico de Genova gerou em recursos em vendas de embarcações, no turismo, uma número estimado de público?

Federico Balmas– A edição de 2014 contou com a participação de 760 expositores em uma área de 180.000 metros quadrados, 1.000 barcos em exposição e cerca de 109 mil visitantes nos cinco dias do evento. Foram realizadas mais de 500 reuniões reservadas aos profissionais (BtoB), provenientes de 30 países, 75 palestras e workshops, 1.450 jornalistas e mais de 1.300 testes de barcos no mar. Na edição de 2015 foram registrados índices de 27% de crescimento de visitas de empreendedores do setor e de jornalistas estrangeiros especializados, em detrimento a 2014.


 

Regata NewsPoderia detalhar a programação desenvolvida com a comitiva catarinense?

Federico Balmas– O objetivo da iniciativa foi aumentar as oportunidades de negócios para as empresas italianas para consolidar as relações comerciais já existentes e criar novas. Por isso, foram realizadas reuniões BtoB entre empresas italianas e estrangeiras. Reuniões bilaterais foram organizados pela associação de categoria UCINA com base em uma atividade muito específica de matching, ferramenta válida para a melhoria e o reforço da cooperação empresarial, econômica e industrial. O programa da delegação brasileira, portanto, consistiu em encontros (rodada de negócios) realizados com empresas italianas. Esses encontros se deram em espaço dedicado ao evento, contando com ajuda de intérpretes italiano / port / italiano. Foram dois dias de frutuosos encontros, sendo o 3º dia dedicado à visitas técnicas assistidas, junto a estaleiros navais localizados na encantadora cidade de La Spezia (Ligúria).



NR: agradecemos o apoio do  Antonio Monge/ Trade Analyst