Agora é a vez dos franceses: Marina Itajaí recepcionará barcos da regata Jacques Vabre

0
151

Marina Itajaí (1)

Transat Jacques Vabre 

Transat Jacques Vabre

 

 

Município catarinense já faz do circuito internacial de eventos, a regata francesa chega a Itajaí pela segunda vez.
Edição – Adilson Pacheco
Fonte/ – Alex Ferrer/Agência A
Post – 6/10-18:28

A largada da regata francesa Transat ocorre no dia 25 da cidade de Havre, França. Eles chegam na vila da regata  no dia 3 de novembro. Itajaí se tornou conhecida mundialmente graças a sua posição náutica estratégica, que a permite ser rota para grandes eventos internacionais como a Regata Volvo Ocean Race e a Transat Jaques Vabre. PIB número um de Santa Catarina, Itajaí se destaca também por possuir o segundo maior Porto do país em movimentações de containers e a maior universidade do Estado, a Universidade do Vale do Itajaí. Recentemente, em pesquisa da Revista Exame, foi eleita a 14ª cidade no Brasil para se investir, concorrendo entre 100 analisadas, entre elas importantes capitais. Na pesquisa, elaborada pela consultoria paulista Urban Systems, a cidade é a segunda no Estado perdendo apenas para Florianópolis (5º). No estudo foram avaliados critérios como desenvolvimento econômico, desenvolvimento social, infraestrutura e capital humano.

A localização de Itajaí também é um diferencial. Além do acesso facilitado pela BR-101, que liga a importantes cidades do país, os mais importantes aeroportos do Brasil ficam próximos desta. O aeroporto de Navegantes está a apenas 5 km, o da capital, Florianópolis a 96 km e o de Curitiba a 213 km. São Paulo, centro econômico do país está a menos de uma hora do município catarinense.
Vizinha da pulsante Balneário Camboriú, reconhecida pelas belezas e pela vida noturna agitada, Itajaí vem despertando a cada dia o interesse dos empresários e das pessoas que buscam oportunidade aliada a qualidade de vida.

Este cenário aqueceu o setor náutico e atraiu para o município empresas de fabricação e reparo de embarcações, muitas delas atuando inclusive no mercado internacional. E não foi apenas o setor de produção que descobriu Itajaí. Em novembro deste ano, será inaugurada a primeira fase da Marina Itajaí, o maior complexo náutico do país, com capacidade para mais de 900 embarcações.
Localizada na Baía Afonso Wippel, a Marina Itajaí será um complexo turístico moderno e estruturado, com boulevard de acesso público, área gastronômica e posto de abastecimento para clientes da Marina e outras embarcações. Os investimentos devem passar de R$ 40 milhões nas obras da 1ª fase, para um complexo com terreno de 30 mil m² em terra e 120 mil m² de espelho d´água.

Tamanha estrutura, não servirá apenas para guardar os barcos dos clientes. Neste ano a Marina Itajaí vai auxiliar no receptivo aos barcos da regata Jacques Vabre, que acontece entre os dias 03 e 15 de novembro. A Marina irá abrigar 30 barcos de competidores, com destaque e para o vencedor desta etapa, que terá uma vaga especial. A Transat Jacques Vabre é a maior competição à vela de travessia do Atlântico e já havia escolhido Itajaí como o porto de chegada em 2013.

Nesta edição as mudanças começam no tamanho dos barcos. Quem se admirou com os velozes veleiros da classe MOD70, comprimento entre 21,33 m (70 pés) e 32 m (105 pés, com largura máxima de 23 m, terá ainda mais motivos para visitar a Vila da Regata neste ano. Por uma mudança no regulamento, a categoria foi substituída pela “Ultime”, que permite a participação de veleiros com mais de 100 pés. A aposta é que estas máquinas ultra velozes devem bater o tempo recorde do percurso de 5.400 milhas entre Le Havre e Itajaí (11 dias e 5 horas) conquistada por um MOD70.

A segunda novidade desta edição é que o público poderá acompanhar a movimentação dos barcos vista da costa no percurso entre Itajaí e Itapema. Após a chegada dos veleiros, eles participarão de uma regata in-port – que tem curto percurso e é realizada bem próxima à costa.

A largada está programada para acontecer na cidade de Le Havre, na França, no dia 25 de outubro e a previsão é de que os primeiros barcos apontem no litoral catarinense apenas 8 dias depois da partida. Ao longo do percurso, os cerca de 50 barcos competidores – cada um com apenas dois tripulantes, como manda o regulamento – navegarão mais de 5.400 milhas náuticas (ou quase 10 mil quilômetros), sem fazer escalas até cruzarem a linha de chegada nas águas de Itajaí.