A era da conectividade no transporte começou; caminhão vai se conectar com tudo ao seu redor

0
109

Nilton  (1) (1) (1) (1) (1) (1) (1) (1) (1)

As novas tecnologias, produtos e serviços estarão gradativamente conectadas em tempo real.

Edição – Adilson Pacheco
Fonte: volvogroup.com
Post – 26/08/-9:16

A era digital no setor de transportes comerciais já começou e a Volvo mais uma vez está na vanguarda. A marca oferece atualmente uma linha de caminhões com uma série de soluções de conectividade que contribuem decisivamente para melhorar a gestão da operação, baixar o consumo de combustível, reduzir o número de paradas não planejadas e aumentar o conforto e a segurança do motorista, tudo por meio da conectividade. “Estas tecnologias vão estar cada vez mais presentes nos nossos veículos”, afirma Nilton Roeder, diretor de estratégia, desenvolvimento de negócios e suporte a vendas de caminhões do Grupo Volvo América Latina.

As novas tecnologias, produtos e serviços estarão gradativamente conectadas em tempo real. Elas estarão focadas no veículo e no motorista e proporcionarão significativas melhorias na disponibilidade, produtividade e no consumo de combustível, além de aumentar a segurança da operação. “Esta revolução já está começando”, diz o diretor. “A primeira era foi a do motor mecânico, a segunda, do motor eletrônico. Agora, é a era da conectividade!”, complementa.

“Novas tecnologias com altos níveis de interoperabilidade e poder de análise emergem como soluções em conectividade com alto impacto na maneira das empresas e governos operarem”, observa Roeder. A massa de dados que está impulsionando estas novas soluções aos fornecedores de tecnologia e prestadores de serviços está crescendo exponencialmente. É o chamado Big Data.

O volume médio de dados deve crescer 76% nos próximos 12 a 18 meses. Trinta e um por cento das grandes empresas já administram mais de 1 petabyte. O tráfego global de dados deve atingir o patamar de 100 zettabytes até 2025. O mercado global de Big Data já gera receita superior a US$ 122 bilhões atualmente. “Este novo cenário garante uma constante evolução tecnológica e permitirá que novas soluções integradas e independentes gerem mais aplicações de serviços localizados na indústria de caminhões”, destaca o diretor.

Caminhões se comunicarão com tudo

“O caminhão se comunicará com praticamente tudo ao seu redor”, prevê. O transportador fará a gestão logística em tempo real, pois o veículo terá a capacidade de auxiliar na otimização da gestão da oferta-demanda ao localizar instantaneamente depósitos e pontos de varejo próximos. Em breve, um sistema de gestão de pedidos e serviços informará eventuais falhas de equipamento ou de coleta de bens na ponta do cliente e ainda na estrada.

O motorista também poderá receber informação sobre custo de pedágio em tempo real para definir uma rota com menor custo – não apenas com base na distância coberta, mas incluindo outros custos associados. Um novo dispositivo oferecerá melhores opções para manter o veículo em rotas preferidas, evitando congestionamentos devido à acidentes ou reforma de rodovias e regiões com topografia acidentada, por exemplo.

O caminhão identificará automaticamente o ponto mais próximo de abastecimento de combustível quando o sistema mostrar baixo nível de combustível. E também exibirá a concessionária ou a estação de reparo mais próxima no caso de o veículo reconhecer algum tipo de mau funcionamento. O caminhão também identificará a vaga de estacionamento disponível e fornecer orientações sobre como chegar nela.

“Atualização remota de softwares, diagnóstico remoto dos caminhões, rastreamento e planejamento da manutenção, por exemplo, já são realidade nos caminhões Volvo”, diz. “Num futuro muito breve, os nossos veículos estarão ainda mais conectados”, finaliza.