“O mais importante é que melhoramos durante o campeonato e mostramos que somos capazes” André ‘Bochecha’ Fonseca

0
225

Bochhecha231“Dever cumprido. Conseguimos, apesar do vento faco, colocar um barco entre a gente e o Alvimedica. Uma tarefa difícil. O mais importante é que melhoramos durante o campeonato e mostramos que somos capazes”, explicou o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca, MAPFRE. “A presença do rei da Espanha nos motivou”

Edição – Adilson Pacheco
Post- 27/06-13:32

“Estou feliz pelo trabalho bem feito pela nossa equipe nas regatas de curta e longa distância”, relatou Ian Walker com mais um troféu nas mãos. “Não velejamos muito bem desta vez, mas conseguimos a posição necessária para ganhar o campeonato”.
O vencedor da Inmarsat In-Port Race Gothenburg foi o Team Brunel. Os holandeses completaram a prova em 59min05. O pódio teve ainda Team SCA e MAPFRE. A regata foi disputada com ventos fracos – variando de 3 a 5 nós

O rei Juan Carlos
da Espanha e a princesa Victoria da Suécia prestigiaram suas respectivas equipes locais MAPFRE e Team SCA. O resultado da Inmarsat In-Port Race Gothenburg também definiu o resultado final da Volvo Ocean Race com o MAPFRE em quarto e Team Alvimedica em quinto. As regatas serviram com desempate da classificação geral.
O que chamou atenção foi o baile de tática da equipe do campeão olímpico Iker Martínez. Precisando chegar duas posições na frente do Team Alvimedica, os espanhóis foram mercados de perto pelos adversários, num verdadeiro estilo match race. No último trecho da regata, a equipe ibérica segurou o Alvimedica para o Dongfeng Race Team passar e ficar no meio deles.
“Dever cumprido. Conseguimos, apesar do vento faco, colocar um barco entre a gente e o Alvimedica. Uma tarefa difícil. O mais importante é que melhoramos durante o campeonato e mostramos que somos capazes”, explicou o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca, MAPFRE. “A presença do rei da Espanha nos motivou”.
A próxima edição da Volvo Ocean Race será realizada nos anos de 2017 e 2018 com os mesmos modelos de barcos atuais, os VO 65. “Fiquei bastante satisfeito com o desempenho dos veleiros, que terminaram a regata inteiros”, revelou o CEO da Volvo Ocean Race, Knut Frostad.