Superintendência do Porto e a APM Terminals Itajaí inauguraram as obras de restauração do antigo prédio da Fiscalização do Porto de Itajaí

0
244

Restauração vPatrimônio histórico de Itajaí ganha mais um prédio restaurado.As obras de restauro do antigo prédio da Fiscalização do Porto de Itajaí foram inauguradas na manhã desta terça-feira, juntamente com o lançamento do Anuário Itajaí 2014.

A Superintendência do Porto e a APM Terminals Itajaí inauguraram nesta terça-feira as obras de restauração do antigo prédio da Fiscalização do Porto de Itajaí, edificado na margem direita do Rio Itajaí-Açu na década de 30. O local recebeu investimentos de cerca de R$ 700 mil do Porto Municipal e da arrendatária do Terminal de Contêineres de Itajaí. Passará a sediar o Conselho de Autoridade Portuária (CAP), Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos) e sala de exposições permanentes, que será utilizada no resgate da história do Porto e atividade portuária.
O projeto foi aprovado pelo Conselho Municipal de Patrimônio e autorizado pela Fundação Catarinense de Cultura e a obra executada pela empresa Albatroz Arquitetura, Construção e Restauro Ltda., especializada em recuperação de patrimônio histórico. As obras foram iniciadas em maio de 2014
“Esse é um prédio tão resistente quanto nosso Porto, que passou por inúmeras intempéries e resistiu bravamente ao passar dos anos”, relatou o superintendente do Porto de Itajaí, engenheiro Antonio Ayres dos Santos Júnior. Ao resgatar a história do imóvel, Ayres informou que o prédio passou por diversas tentativas de demolição a partir do ano de 1977, até que teve seu tombamento como Patrimônio Histórico de Itajaí no ano de 1989, por meio de lei municipal assinada pelo prefeito Jandir Bellini em seu primeiro mandato.
No início da década de 90 o imóvel foi tombado como Patrimônio Histórico de Santa Catarina, pelo governo do Estado e a partir daí foi dado início a uma série de tentativas para sua restauração, porém, sem sucesso. No ano de 2005 a área foi incorporada ao Porto, devido à necessidade de expansão do Porto e iniciaram as tratativas para se transferir as instalações para outro local. Dessa forma seria preservado o imóvel e também garantido a ampliação Porto. Até que a restauração foi determinada pelo Juízo dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Itajaí, nos autos da Ação Popular nº 033.13.011488-2.
“A determinação judicial foi cumprida com o restauro das obras e acredito que essa foi a melhor forma para resguardamos parte da história de nosso Porto, preservando sua memória”, disse o superintendente, que informou ainda que no entorno do imóvel será edificada uma praça e um passeio, que integra o projeto de integração Porto/Cidade de Itajaí. “O projeto foi elaborado pelo Município e as obras serão custeadas pelo Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura de Itajaí (Semasa), uma vez que o local abriga uma estação elevatória do órgão”, disse Ayres. Os serviços de paisagismo devem iniciar imediatamente.

Apoio a Cultura, Educação e Esporte

O superintendente da APM Terminals Itajaí, Ricardo Arten, destacou a importância dos investimentos da empresa no projeto da restauração do antigo imóvel, no sentido de integrar a comunidade de Itajaí à atividade portuária. “A APMT entende que os investimentos não foram feitos em um simples imóvel, mas em 85 anos de história da atividade portuária e nas pessoas que por aqui passaram”, disse Arten.

Além da cultura, a APMT, que é a maior geradora do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) também tem sido uma grande parceira do município, com investimentos em projetos educacionais e também no patrocínio de atletas e da atividade esportiva em si, como forma de retribuir ao município, de forma silenciosa, todo o apoio que a APMT recebeu e recebe de Itajaí. “Queremos que além de Itajaí não seja apenas uma cidade que tem um porto, mas que a APMT seja um porto que tem uma cidade, tamanha a responsabilidade da empresa com o município”, afirmou Arten.
A prefeita em exercício, Dalva Rhenius, destacou a importância do investimento do resgate histórico para o município e para a comunidade. “Itajaí sempre teve na atividade portuária um grande referencial e o restauro desse imóvel, com a criação de uma sala para manter viva a história de nosso porto, foi uma grande conquista, não da administração, mas da comunidade como um todo”, disse a prefeita.

O imóvel:

O prédio foi construído por volta de 1930 para sediar o escritório e o depósito dos materiais que seriam utilizados nas obras de ampliação projetadas para o Porto de Itajaí. Depois sediou a fiscalização e administração do Porto, até o ano de 1967, quando foi construído novo prédio para a Administração, na Rua Cel. Eugênio Muller.
Trata-se de uma construção de estilo eclético com predomínio de elementos neoclássicos em sua composição, edificada em tijolos e coberta por telhas tipo francesa. Como a maioria das construções desse estilo, originalmente o edifício tinha paredes pintadas de cores suaves, com ornatos e aberturas na cor branca.
O destaque fica por conta dos arcos plenos das aberturas e dos desenhos impressos no tratamento do reboco, inspirados nas composições em pedras características do renascimento florentino.
A composição é assimétrica em todas as elevações e o torreão, construído em uma das extremidades do prédio original, conferia aspecto oficial, realçado pela varanda, pela porta em arco e pelo mastro de bandeira, ali fixado.