Portugal: Volvo Ocean Race partiu mas promete voltar para Lisboa

0
117

Lisboa
A etapa portuguesa da “Volvo Ocean Race” despediu-se de Lisboa, com a frota de veleiros a sair em direção a França, para a 8ª etapa da maior regata à volta do mundo. O evento prolongou-se por 14 dias, com diversas atividades, regatas locais e muita animação, na Doca de Pedrouços, em Algés, no concelho de Oeiras.
Fonte: Notícias de Desporto
http://www.desportonalinha.com/
Post:08/06-09:42
Aplaudidos por milhares de pessoas junto ao cais da Race Village, os velejadores protagonizaram o Desfile Oficial das tripulações e dirigiram-se aos barcos com família e amigos para darem início à penúltima e mais curta etapa da competição.
Enquanto decorriam os últimos preparativos para a partida dos barcos, o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e a diretora do stopover de Lorient, Dominique Narbey, trocaram as bandeiras nacionais de Portugal e França, numa cerimónia de passagem do testemunho.
Ao início da tarde, as sete equipas iniciaram a prova, percorrendo o rio Tejo até ao Terreiro do Paço, local onde inverteram o sentido rumo ao Atlântico, para seguirem até à próxima paragem. O rio encheu-se de centenas de barcos e amantes da vela que vieram acompanhar o início da regata e despedir-se dos velejadores da Volvo Ocean Race.
De Algés à baixa de Lisboa, o público encheu as margens do rio Tejo para ver pela última vez as embarcações da maior regata à volta do mundo.

“Boatyard da Volvo Ocean Race fica em Lisboa”
O balanço final é positivo e os preparativos para a próxima edição já estão em marcha. Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, anunciou este domingo que o estaleiro naval oficial da Volvo Ocean Race – The Boatyard – permanecerá em Lisboa. “O estaleiro comum serve não só a reparação dos barcos mas também para a preparação das épocas seguintes. O objetivo é que no final da regata os barcos regressem a Lisboa e façam em Portugal as reparações necessárias”, adiantou Fernando Medina.
“Queremos Lisboa como base para os treinos das equipas. A estadia definitiva do estaleiro oficial é um avanço importante para os objetivos futuros da autarquia, da Administração do Porto de Lisboa, da Direção Geral da Política do Mar e da empresa responsável pela organização do evento Urban Wind. Trabalhámos muito ao longo destas semanas para dar sinais de confiança à organização da Volvo Ocean Race”, concluiu o autarca lisboeta.
“O intuito é posicionar Lisboa para no próximo ano apresentarmos uma candidatura vencedora, de forma a que a Volvo Ocean Race estabeleça em definitivo a sua sede em Lisboa, e tornar a capital no ponto de partida da regata em 2020”, acrescentou.
Também quatro equipas da Volvo Ocean Race – Team Alvimedica, Abu Dhabi Ocean Racing, Team SCA e Team Vestas Wind – manterão uma parte da sua operação logística com base em Lisboa. O Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, falou ainda na possibilidade de haver um barco português na próxima edição da regata. “Com o apoio e empenho de todos os portugueses, tudo é possível” referiu.
A Volvo Ocean Race de Lisboa decorreu de 25 de maio a 7 de junho na Doca de Pedrouços, em Algés, no concelho de Oeiras, com inúmeras atividades e concertos diários totalmente gratuitos para todos os visitantes. A próxima edição acontece em 2017/18, com o stopover de Lisboa já garantido no mapa.