Bochecha se despede de Portugal. Começa a batalha pela vitória na França

0
119

Bochecha v (1)

O ” MAPFRE ” começou, domingo (7), em Lisboa, a penúltima perna da Volvo Ocean Race, última etapa de uma competição de oito meses. Restam 1.607 milhas e duas fases para o final gera

Edição – Adilson Pacheco
Fonte: Helena Paz/Mapre
Post:8/6-10:41

Sim, é o estágio mais curto da Volta ao Mundo, mas isso não quer dizer que é o mais fácil: “Embora seja um pequeno trecho, nós teremos várias dificuldades em jogo e decisões complicadas a tomar “, disse o comandante Xabi Fernández ainda em Lisboa (Portugal).
O percurso até Lorient também não será menos intenso. “Sabemos que vai ser muito disputado, pois estamos lutando por um lugar no pódio. Todos os barcos estão pressionados ao máximo, por isso parece que vai ser cerca de três ou quatro dias muito difíceis para todos. Esperamos ter o melhor resultado possível, ou vencer a etapa para entrar mais próximo no pódio final”, disse o velejador Carlos Hernandez, trimmer e proa do “MAPFRE”.
Saída lenta do Tejo

O início da oitava etapa foi na boca do rio Tejo. A partir dele serão quase 650 milhas náuticas até o próximo porto. Os barcos fizeram uma regata entre boias antes de deixar Portugal, passando pela Torre de Belém e sob a ponte 25 de Abril.
Foi um começo lento, com muito pouco vento e uma forte influência da corrente do rio Tejo. No entanto, o “MAPFRE” já sabia que isso iria ocorrer. “A saída de Lisboa vai ser com muito pouco vento. Na verdade, as primeiras horas vão ser muito difíceis. Vamos perder muito tempo para fazer poucas milhas por causa da corrente contra”, contou Xabi Fernandez. O “MAPFRE” aproveitou a saída lenta e assumiu a liderança até ser superado pelo “Brunel”.
A previsão é que os ventos voltem a bater na aproximação ao Cabo Finisterra atingindo de 35 a 40 nós.
A fase final será mais um obstáculo a superar. E será lá na francesa Bretanha que os conhecimentos do local Jean Luc Nélias podem surtir efeito. O navegador da equipe é francês e sabe como velejar por lá.
Tudo indica que a flotilha deve demorar de três a quatro dias para chegar a Lorient, ou seja, a partir de quarta-feira, dia 10, e quinta-feira, 11 de junho.
Os Ñetifans donos de Lisboa
A grande atmosfera Vila da Regata de Lisboa foi criada graças também aos torcedores espanhóis, mais precisamente os Ñetifans, um grupo de seguidores do proeiro “Neti” Cuervas-Mons. Mais de 50 pessoas cantaram músicas de apoio ao time e ao atleta.
O próprio Xabi Fernández agradeceu publicamente a presença dos fãs: “Obrigado pelo apoio, pelos hinos e aplausos. Sair com ese ambiente é certamente um algo a mais. Obrigado a todos que vieram aqui para apoiar o “MAPFRE”.