“Mapfre” lidera início de regata até Lisboa

0
124

maria b (1) (1)A regata que marca o retorno da Volvo Ocean Race à Europa começou neste domingo (17) em Newport (Estados Unidos). O barco do brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca terá pela frente 2.800 milhas náuticas até Portugal
Edição- Adilson Pacheco
Fonte: Helena Paz/Mapfre
Poat:18/05-00:08
A travessia do Atlântico Norte começou neste domingo para o “MAPFRE” e seus rivais na Volvo Ocean Race. A chamada última grande etapa desta edição saiu de Newport com muitos fãs da vela estadunidense acompanhando em terra e mar assistindo.
Uma regata intensa
A sétima etapa começou com um percurso entre boias de oito milhas náuticas e vento de médio para fraco na direção Oeste-Sudoeste.
Depois de percorrer o caminho, o “MAPFRE” escolheu o lado esquerdo para seguir viagem. Apesar de um início instável, o barco se recuperou e passou para segundo lugar. A equipe do campeão olímpico Iker Martínez mirou os chineses do “Dongfeng” depois da reação inicial. Mas o asiáticos faziam jogo duro, mesmo com a diferença caindo em cada contorno de boia.
Faltava mais uma perna para pegar o mar aberto. Deixar Newport na liderança era possível para o time da Espanha. Dito e feito! O barco de Iker Martínez era o líder depois de 44 minutos de etapa. Ao pegar o Atlântico de vez, a posição era a seguinte: “MAPFRE”, “Dongfeng”, “SCA”, “Brunel”, “Alvimedica” e “Abu Dhabi”.
Uma etapa completa
Depois da vitória na In-port Race de Newport, o “MAPFRE” ganhou moral para a etapa sete. Mas, existe um longo caminho até Lisboa, com um Atlântico inteirinho para cruzar. O navegador Jean Luc Nélias explicou: “Teremos de tudo nessa etapa: velocidade, vento fraco, baixa pressão, alta pressão, ventos alísios, água fria na saída dos Estados Unidos, água mais quente chegando à Europa e muito mais. Tudo isso em nove dias. Será muito intenso”.
O brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca projetou o primeiro dia de regata. “Será um início de pouco vento. Vamos fazer o percurso entre boias e passar por muitos navios mercantes. Isso pode ser bastante difícil. A saída de Newport será bastante lenta! Só depois vamos navegar mais rápido”.
O chefe de turno concluiu: “Queremos fazer com que tudo corra bem. Vamos ver se podemos estar no pódio e fazer uma boa regata”.
Presidente mundial da MAPFRE, Antonio Huertas, apoia a equipe
Como ocorreu em Itajaí (Brasil), o presidente mundial da MAPFRE, Antonio Huertas, esteve em Newport para mostrar todo seu apoio ao time espanhol, que conta com o único velejador brasileiro da regata.
O presidente Huertas expressou seu desejo de que a equipe chegue bem a Lisboa. “Lutando e trabalhando! Assim o objetivo será cumprido. Se pegar um pódio nós ficaremos encantados”.