Transat Jacques Vabre: Como um bom café virou uma regata

0
153

02
20 anos de Transat Jacques Vabre
Depois de vinte anos de existência, a Transat Jacques Vabre encontrou seu ritmo e seu formato, convenceu os competidores e encantou o público, confirmou sua razão de ser e seus parceiros. A ideia original é simples: de uma rota histórica nasce uma grande regata. Como um bom café, uma prova esportiva é uma mistura elaborada de sabores, de safras e de aromas. Que tal uma regata… expresso!

As grandes datas

1993: Criação da Rota do Café, regata em solo de Le Havre a Cartagena na Colômbia.
1995: A Transat Jacques Vabre passa a ser uma regata em dupla.
2001: Novo destino. Rumo ao Brasil, Salvador da Bahia.
2009: A regata atraca na Costa Rica em Puerto Limon.
2013: Retorno ao Brasil, com uma nova escala: Itajaí.
Os marinheiros

226 duplas participaram da regata desde sua criação.
Recorde de participação em 2007 com 60 tripulações entre as quais 30 Class40

Oito vencedores por duas vezes:

Paul Vatine (1993 e 1995 em multicasco)
Yves Parlier (1993 e 1997 em monocasco)
Roland Jourdain (1995 em multicasco e 2001 em monocasco)
Loïck Peyron (1999 em multicasco e 2005 em monocasco)
Franck Proffit (1999 e 2003 em multicasco)
Paul Larsen (2001 e2003 em monocasco50)
Steve Ravussin (2001 e 2007 em multicasco)
Charles Caudrelier (2009 em monocasco e 2013 em Mod70)

Três vencedores por três vezes:
Jean-Pierre Dick (2003, 2005 e 2011 em monocasco)
Franck Cammas (2001, 2003 e 2007 em multicasco)
Franck-Yves Escoffier (2005, 2007 e 2009 em multicasco 50’)