Reciclando com Arte é sucesso nas escolas de Itajaí

0
170

Oficina das palavras
Oficina das palavras

Projeto patrocinado pela Petrobras já chegou a 3.729 crianças na cidade

– No total, 3.729 crianças já participaram do projeto “Reciclando com Arte”, da Téspis Cia de Teatro. O trabalho de conscientização ambiental patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental usa diversão e teatro para tratar da importância da reciclagem do lixo com alunos, professores e comunidade escolar. O “Reciclando com Arte” foi um dos cinco projetos contemplados em Santa Catarina pela seleção pública Comunidades do Programa Petrobras Socioambiental. A seleção recebeu 297 inscrições em São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Ao final do processo, 57 projetos foram contemplados para receber até R$ 300 mil em dois anos cada um. O projeto também conta com apoio do Sesc Itajaí e parceria da Secretaria de Educação.
De acordo com a coordenadora do projeto, Denise da Luz, as escolas têm sido muito receptivas. As reações durante as apresentações são as mais diversas, já que o momento reúne crianças, adolescentes e adultos. “O encanto é visível no olhar dos pequenos, que muitas vezes estão presenciando pela primeira vez um espetáculo teatral. Já os jovens se divertem com toda a temática e a história contada. Os maiores não resistem a tanta magia e voltam à infância”, diz.
Das 41 escolas que serão contempladas com o projeto, oito já foram presenteadas com o espetáculo “Cabeça de Papel” e oficinas de construção de bonecos de sucata. Até outubro, a atividade deverá chegar aos 22 mil alunos de Ensino Fundamental e Educação Infantil dos 20 bairros de Itajaí. Além dos alunos, aproximadamente 500 professores de Educação Artística e do Ensino Fundamental também participarão de oficinas sobre construção e manipulação de bonecos com materiais recicláveis.
Gerar um envolvimento que resulte num trabalho contínuo em sala de aula é o grande objetivo dos encontros com os profissionais da Educação. A ideia é que eles mantenham a discussão sobre a reciclagem do lixo nas classes. Para a supervisora do Projeto Cultura e Travessura da Secretaria de Educação da prefeitura de Itajaí, Juliana Nunes Furman, projetos como esse precisam acontecer com mais frequência nas formações dos professores, pois além de contribuir para a prática educacional, contribui também para a pessoal. “Fizemos uma avaliação no final de cada oficina e o resultado foi muito positivo, alguns comentaram sobre a importância do desenvolvimento destas habilidades manuais, gostaram muito por ser uma oficina bem dinâmica, produtiva”, afirma Juliana.

O espetáculo
“Cabeça de Papel” utiliza o teatro de formas animadas e tem como tema e linguagem a reutilização criativa de materiais recicláveis. Todos os elementos utilizados em cena, como os bonecos, cenários, adereços e figurinos, são confeccionados com sucata. Inspirado também na cultura das ruas, como o grafite e o hip hop, chama atenção para o respeito às diferenças, sobretudo das classes marginalizadas.
A personagem central, Cabeça de Papel, é alguém que vive num lixão e se alimenta do que as pessoas jogam fora. Aos poucos vai aprendendo a transformar objetos e todo tipo de lixo que encontra em outras formas, que servem como ferramenta para que ele próprio se transforme. E aos poucos o entorno vai ganhando cores, luzes, sons e um novo mundo vai surgindo. Além da coordenação do projeto por Denise da Luz, o espetáculo tem direção artística de Max Reinert e a atuação dos atores/manipuladores Jônata Gonçalves, Cidval Batista e Mayara Conceição.