Itajaí Stopover faltam 11 dias: Mares do sul um desafio para os velejadores dos seis barcos

1
147

11 dd

Faltam 11 dias: Stopover Itajaí: Mares do sul desafio para os velejadores do seis barcos
“Vento forte e as ondas gigantes continuam batendo, uma atrás da outra. Nossos gladiadores estão perdendo todo suco gástrico”, disse o comandante holandês Bouwe Bekking. “Estamos, na verdade, enjoados e exaustos. O estado do mar é realmente confuso e que torna difícil fazer qualquer coisa”, disse Amory Ross, repórter a bordo do Alvimedica.
.
Em último lugar na quinta etapa da Volvo Ocean Race, o MAPFRE, do brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca, enfrenta um momento-chave no caminho para Itajaí. Com um sistema de baixa pressão pela frente, a equipe espanhola precisa decidir se opta pela rota mais ao Norte ou ao Sul. O objetivo é entrar no chamado Roaring 40s do Oceano Antártico – Vendavais da Latitude 40 – em uma melhor situação. São esperados ventos de 45 nós até a chegada ao Cabo Horn. A perna é liderada provisoriamente pelo holandês Team Brunel, seguido pelo Team Alvimedica e Abu Dhabi.
Em uma ligação telefônica, André ‘Bochecha’ Fonseca Fonseca comentou que “está tudo muito complicado nesta etapa, com muitas mudanças de velas e muitas rajadas”.
Como medida de precaução antes dos Roaring 40s, o MAPFRE decidiu reforçar a proa do barco depois de barulhos estranhos por lá. “Os primeiros dias foram difíceis e agora ouvimos um barulho que vem dessa área”, comentou o comandante Iker Martínez. “Tivemos uma vez nessa regata um problema na proa. Preferimos ser cautelosos e evitar problemas, por isso temos fortalecido essa área nas últimas horas”.
A quinta etapa da Volvo Ocean Race é disputada entre a Nova Zelândia e o Brasil. A parada de Itajaí, em Santa Catarina, será aberta ao público em 4 de abril. Os barcos são esperados em Itajaí em 4 de abril, mas a data pode mudar de acordo com intensidade dos ventos e destreza dos tripulantes. As seis equipes têm pela frente a perna mais longa do evento – 6.776 milhas náuticas ou 12.550 quilômetros – e dificuldades como o frio dos mares do Sul, ondas gigantes e o temido Cabo Horn.

Conheça a Volvo Ocean Race

– A Volvo Ocean Race está em sua 12ª edição evento! Tudo começou em 1973, quando a Volta ao Mundo era conhecida como Whitbread Round the World Race.
– A regata começou em 4 de outubro de 2014, com a In-port race ou regata local de Alicante, na Espanha. A última prova será no dia 27 de junho de 2015, em Gotemburgo, na Suécia, casa da Volvo.

– A regata tem ao todo 38.739 milhas náuticas de distância – o equivalente a 71.745 quilômetros. As outras paradas do calendário serão: Cidade do Cabo (África do Sul), Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos), Sanya (China), Auckland (Nova Zelândia), Itajaí (Brasil), Newport, Rhode Island (Estados Unidos), Lisboa (Portugal) e Lorient (França). Um pit-stop de 24 horas em Haia (Holanda) está programado entre a França e a Suécia.
– Essa edição e a próxima serão disputadas com barcos de alto desempenho. Os novos modelos, chamados de Volvo Ocean 65, foram projetados pela Farr Yacht Design e construídos por um consórcio de estaleiros no Reino Unido, França, Itália e Suíça.
– O novo monocasco de 65 pés (19,8 metros) é de design único. As equipes receberam os veleiros iguais e prontos para as regatas. Os modelos são equipados com a mais recente tecnologia via satélite. As imagens em vídeo são enviadas pelo repórter que viaja com as tripulações. O OBR faz parte da Volvo Ocean Race desde a edição 2008-09.
– São sete equipes de diferentes nacionalidades na disputa. O Team SCA representa a Suécia e é formado apenas por mulheres. A última vez que uma equipe 100% feminina correu foi na edição 2001-02. O Abu Dhabi Ocean Racing leva a bandeira dos Emirados Árabes Unidos para a regata. O medalhista olímpico Ian Walker novamente comanda a equipe. A China volta a ter uma equipe na regata com o time Dongfeng Race Team, que é bancado pela montadora Dongfeng Commercial Vehicle em parceria com OC Sport, empresa de marketing esportivo. O Team Brunel, da Holanda, é uma das tripulações mais experientes da Volvo Ocean Race. O veleiro é comandado por Bouwe Bekking. O Team Alvimedica, com as bandeiras de Turquia e EUA, está na disputa com o patrocínio de uma empresa da área médica. O sexto barco confirmado foi o espanhol MAPFRE. A equipe conta com o único brasileiro a bordo: André ‘Bochecha’ Fonseca. O Team Vestas Wind, que defende as cores da Dinamarca, foi o sétimo e último barco a se inscrever.
– A pontuação mudou. O campeão será o time que somar menos pontos. Quem chegar em primeiro nas etapas leva um ponto, em segundo dois, em terceiro três e assim por diante. As regatas locais servem para efeito de desempate.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.