Bochecha: “Itajaí é pertinho de Florianópolis, onde moro. Estou louco por um churrasco”

1
157

17dd Faltam 17 dias para a cidade portuária e universitária receber mais uma parada da Volvo Ocean Race. A quinta etapa da Volta ao Mundo largou, nesta terça-feira (17), de Auckland, na Nova Zelândia. As seis equipes vão ter pela frente a perna mais longa do evento – 6.776 milhas náuticas ou 12.550 quilômetros – e dificuldades como o frio dos mares do Sul, ondas gigantes e o temido Cabo Horn. Entre os tripulantes, um brasileiro: André ‘Bochecha’ Fonseca é o timoneiro do MAPFRE, barco de bandeira espanhola na regata. “Todos os velejadores querem disputar essa etapa, pois passa pelos mares do Sul e pelo Cabo Horn. É uma marca importante na carreira do atleta. Adoramos pegar ondas grandes…Passamos frio e fome, mas nos divertimos”, disse o catarinense Bochecha. E acrescenta, “estou ansioso para chegar ao Brasil. Faz tempo que não vou pra casa. Vou chegar logo logo no meu país e no meu estado. Itajaí é pertinho de Florianópolis, onde moro. Estou louco por um churrasco”, brincou André ‘Bochecha’ Fonseca.
A regata também tem uma quase brasileira. Carolijn Brouwer corre no Team SCA, barco só de mulheres na aventura. A atleta holandesa morou mais de uma década no Brasil. “É sempre uma etapa com muita tensão e nervos. Os pontos de gelo – ice gates – estarão bem mais ao Sul. Frio e muito vento vamos pegar. Nosso objetivo é chegar em Itajaí com o barco inteiro”, disse a velejadora, que participou da edição 2001-12.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.