Jon Bramley, diretor de mídia da Volvo Ocean Race:”“A despesa e a falta de tempo simplesmente não vai torná-lo prático, para nós,transportar o Brasil 1 até Itajaí”

0
250

fotos  pagina 8Brasil 1-10 anos:
“A despesa e a falta de tempo simplesmente não vai torná-lo prático, para nós,transportar o Brasil 1 até Itajaí”

“Admiro a sua imaginação e sua visão – e quem sabe, talvez um dia nós podemos torná-lo realidade. Mas temo que a despesa e a falta de tempo simplesmente não vai torná-lo prático para nós transportar Brasil I todo o caminho até Itajaí a tempo para a chegada da frota. Ele continua a revelar-se um grande atrativo para o público de Alicante. Nós apreciamos às visitas registrada para o barco e o museu no último mês” a declaração é do jornalista Jon Bramley, diretor de mídia da Volvo Ocean Race, em resposta da consulta da possibilidade do retorno do Barco Brasil 1 ao Brasil e mais precisamente para Itajaí. O jornal Regata News havia lançado uma campanha há dois meses em Rede Social com slogam: BRASIL1: 10 anos. Este barco precisa voltar. Apesar da resposta,o Regata News, continua com a campanha.

fotos  pagina 9

O primeiro e único barco nacional verde/amarelo a participar de uma regata Volvo Ocean Race, considerada “Copa do Mundos das Velas” ou “Formula 1 náutica” foi o barco Brasil 1. Projeto idealizado pelo velejador Alan Adler da regata volta ao mundo. O maior medalhista brasileiro Torben Grael acredita que os brasileiros envolvidos com o barco nacional tiveram as portas abertas na vela oceânica e principalmente na Volvo Ocean Race. “Espaço tem. O mais complicado é obter a primeira experiência desse tipo, e regata, os brasileiros tiveram. As equipes internacionais são formadas geralmente por indicação ou levando em conta a experiência do velejador”.

fotos  pagina 10

Além de Torben Grael, que na edição de 2008-09 foi campeão da Volvo Ocean Race, outros velejadores se destacaram na própria Volvo. André ‘Bochecha’ Fonseca, por exemplo, está na disputa atual a bordo do MAPFRE. Joca Signorini correu as últimas três edições e hoje é treinador do Team SCA, equipe 100% feminina.O espanhol Roberto ‘Chuny’ Bermúdez, outro tripulante do Brasil 1, integra atualmente o Abu Dhabi. Entre os estrangeiros, o maior salto foi do norueguês Knut Frostad, que hoje é CEO da Volvo Ocean Race.