Regata News entrevista CEO da G-Force Yachts – Jeroen Wats

2
174

G -Force Yachts celebrando seus 10 anos de existência. Uma empresa holandesa que tem uma grande participação no mercado náutico mundial. O CEO e fundador da empresa

concedeu esta entrevista exclusiva ao REGATA News.
REGATA News – G-Force Yachts celebrando seus 10 anos de existência. O que é isso?
Jeroen Wats- Celebrando o 10 º aniversário do G -Force Yachts é um grande marco . O tempo passou muito rápido e quando eu olho para a nossa trajetória, estou muito orgulhoso do que temos conseguido. E, desde a construção de iates à vela de alto desempenho, que são os verdadeiros vencedores em seus segmentos e para a construção de relacionamentos duradouros com os nossos distribuidores e os proprietários de nossos barcos. Assim, estou orgulhoso do que realizamos e estamos prontos para os próximos dez anos!
REGATA News -Foi fundada como G -Force Yachts. Como surgiu a ideia de seus fundadores de criar uma empresa industrial náutica?
Jeroen-Eu vinha com a ideia de desenvolvimento e produção de iates de corrida durante a sua participação da cidade do Cabo ao Rio de Janeiro durante a Rio Ocean Race em 2003. Juntamente com o “Madiba Racing Team”, que ganhou o primeiro lugar na classe 42 metros e segundo lugar na classe geral. E assim G -Force Yachts nasceu.
Apaixonado por vela de e com uma equipe conduzida por ideias inovadoras, que introduziu o primeiro modelo G -Force Yachts (o X -Treme 37), em 2004. Este barco de corrida de 37 metros construído inteiramente em carbono foi desenvolvido pelo respeitável Reichel / Pugh estúdio e venceu a regata Cidade do Cabo a Bahia uma de corrida Oceano em 2006, tendo ambas as eficiências e honras de linha!
REGATA News – Pelo que vimos hoje e você esta com a visão de expandir no mercado internacional?
Jeroen – Já estamos presentes em 14 países. Nós agora estamos focando no desenvolvimento de novos territórios, bem como novos modelos. América do Sul e Ásia são dois desses territórios.
REGATA News – Qual é o maior desafio de G -Force Yachts?
Jeroen – Ficar inovador. Nós trabalhamos duros para integrar as mais recentes e as melhores tecnologias para o nosso processo de concepção e construção de barcos. Nossos barcos são extremamente confiáveis e construído com o maior cuidado e qualidade ao mesmo tempo ficar em cima do jogo em termos de inovações.
REGATA News – E quantos barcos foram fabricados e comercializados.
Jeroen- Nós construímos mais de 530 barcos a partir desde fundação. No momento, estamos trabalhando em um novo projeto de 32 metros e também em um daysailer. Estes dois barcos com parte da nossa frota de iates de corrida sem concorrência.
REGATA News – O Brasil é um mercado para G -Force Yachts. Existe algum planejamento para a chegada da empresa para este país?
Jeroen – O Brasil é um mercado muito interessante para nós. Eles têm muito bons marinheiros que navegam em níveis altamente competitivos e tenho a certeza que os nossos barcos poderiam sair muito bem no seu país. No entanto, devido ao elevado nível de tributação em barcos importados da Europa, estamos à procura de investidores, com os quais poderia estabelecer uma parceria para construir os barcos localmente e distribuí-los no mercado brasileiro.
REGATA News – O mercado marítimo está crescendo globalmente? O que estava favorecendo esse crescimento?
Jeroen- O crescimento é o resultado do surgimento de novos mercados, como a Ásia ou a América do Sul.

REGATA News -Volvo Ocean Race é um mercado para barcos de G -Force Yachts?
Jeroen- Não, a Volvo Ocean Race dita o design dos barcos com a produção sendo terceirizada para os estaleiros. Nós nos concentramos em nossa própria produção e design.
————————————————————————————————————————————–

REGATA News-1.Jeroen Wats—CEO G- Force Yachts celebrating its 10 years of existence. What is this ?
Jeroen Wats-Celebrating the 10th anniversary of G-Force Yachts is a big milestone. Time went by really fast and when I look at our track record, I am really proud of what we have achieved, from building high performance sailing yachts, which are true winners in their segments to building long lasting relationships with our distributors and the owners of our boats… So in short, I am proud of what we accomplished and we are ready for the next ten years!

REGATA News- Was founded as the G- Force Yachts . How did the idea of its founders to create a nautical industrial company born? They have worked in marine market ?
Jeroen Wats-I came up with the idea of developing and producing racing yachts while participating in the Cape to Rio Ocean Race in 2003. Together with the “Madiba Racing Team”, we won first place in the 42-foot class and second place in the general class. And G-Force Yachts was born.
Impassioned by sailing from and with a team driven by innovative ideas, we introduced the first G-Force Yachts model (the X-Treme 37) in 2004. This 37-foot racing yacht built entirely in carbon was developed by the reputable Reichel/Pugh studio and won the Cape to Bahia Ocean race in 2006, taking both handicap and line honours!

REGATA News-From what we have seen today and the vision to expand the international market ?
Jeroen Wats-We are already present in 14 countries. We are now focusing on developing new territories as well as new models. South America and Asia are two of these territories.

REGATA News- What is the biggest challenge of G- Force Yachts ?
Jeroen Wats-Staying innovative. We work hard at integrating the latest and the best technologies into our boat design and building process. Our boats are extremely reliable and built with the highest care and quality while staying on top of the game in term of innovations.
REGATA News-Talk of projects for new boats now ? And how many boats have been manufactured and marketed . And how long it takes to build a boat plowing and employs many people and cost a boat ? We have built over 530 boats as of today. We are currently working on a new 32-foot racer and also on a daysailer. These two boats with join our fleet of unbeatable racing yachts.

REGATA News- Brazil is a market for G- Force Yachts . There is some planning for the arrival of the company for this country?
Jeroen Wats-Brazil is a very interesting market for us. You have very good sailors sailing at highly competitive levels and I am sure that our boats could fare very well in your country. However due to the high level of taxation on boats imported from Europe, we are looking for investors, with whom we could set up a partnership to build the boats locally and distribute them on the Brazilian market.

REGATA News- The marine market is growing globally ? What was favoring this growth ?
Jeroen Wats-The growth is the result of the emergence of new markets, such as Asia or South America.