Velejadores da Volvo Ocean Race lamentam atentados na França

0
134

Solidariedade.Os atentados na França desta semana deixaram o mundo perplexo. Os velejadores que disputam a Volvo Ocean Race ficaram sabendo do ocorrido e manifestaram solidariedade às famílias das vítimas.
.vor

Adilson Pacheco
Editor
Post:9/01/22h05-Fonte:VOR
Solidariedade.Os atentados na França desta semana deixaram o mundo perplexo. Os velejadores que disputam a Volvo Ocean Race ficaram sabendo do ocorrido e manifestaram solidariedade às famílias das vítimas. Os seis barcos que disputam a regata participam da terceira etapa da Volta ao Mundo, no percurso entre Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, e Sanya, na China.
O comandante do Dongfeng, o francês Charles Caudrelier, se mostrou chocado com os ataques terroristas em seu país. O velejador enviou uma mensagem direto do Mar Árabe.
“Meu nome é Charles, às vezes eu sou chamado Charlot, mas hoje eu sou Charlie. Pela segunda vez tenho que acompanhar do mar as notícias de um ataque terrorista. A primeira vez foi no 11 de setembro de 2001.
A bordo de um barco de regata não temos muitas notícias do mundo, não temos acesso à Internet, TV ou rádio. Estamos longe do que se passa. Sobre os atos insanos que ocorreram em Paris durante a semana, eu realmente não sei o que pensar. Desde o início dos tempos, temos relatos de gente matando em nome de Deus ou de uma religião.
Se Deus existe, deve estar orgulhoso por ter criado a maraviha de planeta que vivemos, mas também envergonhado de nós seres humanos, incapazes de viver juntos num mesmo lugar”.
Os barcos da Volvo Ocean Race são equipados com a melhor tecnologia via-satélite para que o mundo acompanhe de perto a ação das equipes. No entanto, a comunicação dos atletas com a terra é restrita para evitar que um time tenha vantagem e informações privilegiadas.
O Dongfeng, de Charles Caudrelier, lidera provisoriamente a perna três, seguido por Team Brunel, Abu Dhabi, Team Alvimedica, MAPFRE e Team SCA