Audi YCSA Sailing Team compete com 13 velejadores no 43º Campeonato Brasileiro de Optimist

0
212

O Audi YCSA Sailing Team compete com 13 velejadores no 43º Campeonato Brasileiro de Optimist, classe de iniciação à vela. O Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ), sede do evento, recebe 120 atletas, de até 14 anos de idade, representantes de sete estados (BA, PE, PR, RJ, RS, SC e SP), além do Distrito Federal.

ZDL

Adilson Pacheco
Editor
Post:9/01/23h05-Fonte:ZDL
Flotilha do Yacht Club Santo Amaro aprimora treinos no Rio de Janeiro. Cerimônia de abertura será neste domingo (11) e no dia seguinte regatas começam para valer

São Paulo – O Audi YCSA Sailing Team compete com 13 velejadores no 43º Campeonato Brasileiro de Optimist, classe de iniciação à vela. O Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ), sede do evento, recebe 120 atletas, de até 14 anos de idade, representantes de sete estados (BA, PE, PR, RJ, RS, SC e SP), além do Distrito Federal.
A capitã de flotilha de Optimist do Yacht Club Santo Amaro (YCSA), Marcela Rangel, é a responsável pela equipe no Rio. Desde março passado incluído no Audi YCSA Sailing Team, o grupo está 40% maior em relação ao time do Brasileiro de 2014, em Pernambuco. “É uma estatística importante porque a classe Optimist é a base da vela. É o barco que permite às crianças e aos adolescentes se envolverem com o esporte e iniciar carreira na vela”, afirma Marcela que considera os velejadores Martin Chao e Nicolas Bernal aptos a chegar entre os 15 primeiros. “Da Optimist sairão os futuros representantes do Brasil em Jogos Olímpicos e Pan-americanos”.
A parceria com a Audi do Brasil possibilitou ao YCSA oferecer uma programação de treinos específica para o Brasileiro de Optimist. No primeiro semestre de 2014 os técnicos Marú (Mário Urban) e Michael Louzada cuidaram das velejadas na Represa Guarapiranga. No semestre seguinte os treinos foram direcionados para o litoral norte de São Paulo, incluindo-se clínica com o velejador olímpico e vice Pan-americano de 470, Dudu Melchert. Finalizando a temporada, a equipe participou de clínica de regras com um dos mais conceituados juízes internacionais de regata, Nelson Ilha, com cinco Olimpíadas no currículo, além de vários Mundiais.
O último representante do YCSA a conquistar o título brasileiro de Optimist foi Pedro Corrêa, do Projeto Ventos & Velas, de São Sebastião. Pedro foi campeão em 2013, na Represa Guarapiranga. Em 2014 a taça foi para o Veleiros do Sul (RS), com a vitória de Tiago Quevedo, em Pernambuco. O Brasileiro de 2015 tem organização do Iate Clube do Rio de Janeiro, Associação Brasileira da Classe Optimist, Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro e CBVela.
Preliminares – Está começou na sexta (9) e segue até domingo a Copa Brasil de Estreantes com cerca de 40 velejadores que jamais disputaram um Brasileiro. Quatro atletas do Audi YCSA Sailing Team estreiam na raia da Baía de Guanabara: Rafael Moricz, Theo Chao e os irmãos Christine e Mathias Reimer. “Christine tem chances de medalha no feminino e Rafael está entre os favoritos no masculino”, opina Marcela. “O time é bastante unido e está muito empolgado com a participação na Copa e no Brasileiro”. A partir de segunda-feira (12), os quatro juntam-se aos outros nove velejadores para compor a flotilha de 13 barcos do YCSA no Brasileiro.
Audi YCSA Sailing Team no Rio de Janeiro
Bruno Gudmon Mittempergher
Gabriel Barker Lajus
Gabriel Patrick Bischof Michaelis
Ignacio Wagner Alzueta
Leonardo Avoletta Didier
Martin Garcia Chao
Nicolas Yudji Bernal
Pedro Rangel Bomeisel
Thomas Mittemperger

Estreantes
Rafael Dutra de Moricz
Christine Reimer
Theo Garcia Chao
Mathias Reimer

Audi YCSA Sailing Team
– Foi formado no início de 2014 com o objetivo de reforçar a missão de formar os futuros velejadores. O projeto abrange 40 atletas da Vela Jovem distribuídos entre as classes Optimist, 420, Laser, 29er e Byte. O apoio está voltado para a aquisição de barcos e velas, contratação de técnicos especialistas nas classes envolvidas e viabilização de viagens para intercâmbio e disputa das principais competições internacionais. Robert Scheidt, o maior atleta olímpico brasileiro em todos os tempos e ganhador de 14 títulos mundiais entre as classes Laser e Star, é o embaixador da marca no País.
Yacht Club Santo Amaro – Fundado em 1930, o YCSA consolidou-se ao longo de oito décadas como um celeiro de campeões da vela à margem da Represa de Guarapiranga, extremo sul de São Paulo. Conhecido também por Clube dos Alemães, devido à origem de seus fundadores, o YCSA sustenta como principal missão revelar os talentos para a vela brasileira. Campeões e medalhistas olímpicos, mundiais e pan-americanos como Robert Scheidt, Alex Welter, Cláudio Biekarck, Reinaldo Conrad, Peter Ficker, Gunar Ficker e Marcelo Batista elevaram o Brasil em suas conquistas nas principais competições mundiais.
O barco Dongfeng Race Team se consolida na liderança da terceira etapa da Volvo Ocean Race, regata entre os Emirados Árabes Unidos e a China. Os próximos anfitriões da Volta ao Mundo sustentam a ponta praticamente desde a largada, mostrando que querem mesmo cruzar a linha de chegada em casa na primeira colocação. As condições de vento apresentadas – intensidade fraca – obrigam os chineses e as outras cinco equipes a aumentar o número de manobras. A flotilha navega lentamente pelo Mar Árabe e deve passar pelo sul da Índia até o fim de semana.
Quem esta em primeiro sempre é alvo de ataques e, por isso, o Dongfeng quer fazer tudo direitinho para evitar a ultrapassagem do Team Brunel, que estava em segundo na última atualização da tarde desta quinta-feira (8).
“Deveremos tomar uma decisão importante nesta noite que vai durar por quatro dias”, explicou Charles Caudrelier. “Precisamos escolher uma boa posição para descer o litoral da Índia. Estamos avaliando, pois se mudamos o bordo mais cedo, podemos perder vento lá frente. No entanto, se a decisão for cambar mais tarde, nós podemos perder posições agora”.
Os chineses são seguidos pelos holandeses do Team Brunel. Na sequência aparecem Abu Dhabi, Team Alvimedica, MAPFRE e Team SCA. O brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca acredita que ainda é possível alcançar o líder.
“O Dongfeng está mais avançado, mas a regata é muito demorada e tem muita água pra rolar. Corremos apenas cinco dias de terceira etapa. Nossa equipe – MAPFRE – conseguiu se recuperar e já temos até contato visual com outros dois barcos. O vento, por sua vez, segue basante instável e pouco dormimos na noite passada com tantas manobras realizadas”.
O progresso dos barcos pode ser acompanhado em http://www.volvooceanrace.com/en/virtualeye.html.