Dione Carabelli: Livros e Sonhos

0
245

Dione Carabelli: “Sempre quis conhecer o mundo, visitar os lugares dos quais eu ouvia falar, ou lia a respeito. Meu pai adorava livros e compra-los era seu passaporte para o mundo. Ele os lia e dividia conosco o prazer pela leitura. Eles ocupavam o espaço da internet, abrindo nossas janelas para o Universo.”

Dione Cararabelli -
Dione Carabelli –

…..

Dione Carabelli
Artigo
Curioso como os sonhos que realizamos muitas vezes passam despercebidos. Foi o comentário de uma amiga de quem há muito eu não tinha notícias, que me fez chegar a essa conclusão. Se as redes sociais tem alguma vantagem, sem dúvida é essa, a de resgatar amigos dos quais, muito provavelmente, nunca mais ouviríamos falar. Comentando algumas coisas que observou em minha vida, ela disse: – Que bom que você realizou os seus sonhos!
Surpresa, percebi que ela tinha razão. Quando jovens, falávamos sobre coisas que gostaríamos de realizar no futuro, e de repente percebi ter realizado a maioria delas.
Sempre quis conhecer o mundo, visitar os lugares dos quais eu ouvia falar, ou lia a respeito. Meu pai adorava livros e compra-los era seu passaporte para o mundo. Ele os lia e dividia conosco o prazer pela leitura. Eles ocupavam o espaço da internet, abrindo nossas janelas para o Universo.
O curioso sobre isso, foi que sofremos uma grande inundação em 1983 e de todas as perdas, a única que registrei foi a pequena biblioteca que meu pai havia montado em casa. Os livros ficaram cobertos pela lama, e ainda posso sentir minha frustração por não conseguir recuperá-los. Eu posso me ver em pé, diante da destruição, tentando folhear as páginas ainda molhadas.
Mas de alguma forma eles ficaram em minha mente, como a coleção dos grandes inventores e descobridores, e os mapas que ensinavam como o mundo era maior que minha pequena cidade, aumentando minha curiosidade, minha vontade de saber como as pessoas viviam do outro lado do mundo.
Eu mudei de cidade e me casei com um homem apaixonado pelo mar e pela vida. E por causa dele, fiz três voltas ao mundo e tive o privilegio de passar algum tempo em alguns dos lugares mais interessantes que conheço. Mas ainda acho que devo tudo isso aqueles livros. As minhas viagens começaram lá, em casa, diante daquelas páginas que tanto fascinavam meu pai.