Vôlei: Técnico Cezar Douglas segue na Europa de olho no futuro

Divulgação/Prosports

Divulgação/Prosports

Após temporada de estudos e planejamento, técnico brasileiro assume o “Pallavolo Andria” da Itália 

O treinador brasileiro Cezar Douglas assumiu a equipe do Pallavolo Andria para a temporada 2018/19 do voleibol italiano. O time disputará a Série B italiana, uma das mais fortes da modalidade!

O ex-técnico do Volêi Taubaté permanece na Europa depois de ficar um ano estudando e fazendo estágios em times locais.

O brasileiro também acumula a função de coordenador das categorias menores do Pallavolo Andria.

Cezar Douglas é agenciado pela ProSports
“A experiência está sendo ótima, tanto no âmbito esportivo (voleibol) como no âmbito pessoal. Tive a oportunidade de acompanhar treinos e jogos das principais equipes do país (Perugia atual campeã, Modena, Milano etc..)”, disse Cezar Douglas.

“Meus projetos são de continuar aqui até que consiga terminar os cursos da federação e aí sim abrir mercado na série A ou em outro país aqui da Europa”.

O treinador faz desde o ano passado cursos ligados à federação italiana, que os técnicos filiados precisam fazer pelo menos duas vezes ao ano, além do curso de línguas (italiano e inglês).
Em outubro Cezar Douglas inicia o curso de treinadores no nível ll, o próximo nível é o que permite com que dirija um time de série A europeia de voleibol.

”Com a experiência que adquiri no Brasil e com as atualizações que tenho feito, acredito que é possível trabalhar aqui! Essa semana assisto a primeira fase do Mundial em Bari e vou ter oportunidade de acompanhar o treino da seleção dos Estados Unidos. São vivências que agregam muito para a carreira de um treinador”, comentou Cezar Douglas.

Cezar Douglas, que comandou a equipe de Taubaté por quase quatro anos, conquistou seis títulos com o time do Vale do Paraíba.

Na sua carreira, até aqui, acumula o bicampeonato da Copa Brasil, duas finais de Superliga e um campeonato da Liga Nacional B, além de ter sido quatro vezes campeão Paulista e ter ido para uma final do Sul-Americano.

Sobre as diferenças e comparações entre o tipo de treinamento dos dois países (Brasil e Itália), Cezar Douglas comenta: “Observando e conversando com treinadores digo que aqui a  carga de treinos físicos e técnicos são mais controladas, otimizadas e organizam as sessões com ênfase na qualidade. Realizamos um trabalho muito similar no Taubaté e isso me proporcionou compreender os métodos e me adaptar rápido aqui”.