Vela -França/Brasil -Transat Jacques Vabre apresenta oficialmente sua 13ª edição

 

TJV - Divulgação

TJV – Divulgação

Com 39 barcos e 78 velejadores inscritos, a 13ª edição da Transat Jacques Vabre promete ser o principal evento da vela oceânica com chegada no Brasil em 2017. As quatro classes participantes (Class40, Multi 50, IMOCA60 e Ultime) disputarão o percurso de 4.350 milhas náuticas, equivalente a 8.056 quilômetros, entre a cidade de Le Havre (França) e Salvador, na Bahia. Nesta quarta-feira (20), a apresentação oficial da 13ª edição foi feita à imprensa internacional em Paris na presença dos skippers e dos organizadores do evento.

Os participantes da 13ª Transat Jacques Vabre estiveram frente a frente pela primeira vez antes da disputa nesta quarta-feira (20).  O encontro, que reuniu os 78 participantes, foi feito na avenida Champs-Elysées, em Paris durante o lançamento oficial da edição 2017. Entre os presentes, estiveram Xavier Mitjavila, Presidente da JDE França – dona da marca de café Jacques Vabre, Luc Lemonnier, prefeito de Le Havre, Cláudio Tinoco, Secretário de Turismo de Salvador e José Alves, Secretário de Turismo do Governo do Estado da Bahia.

Neste ano, a abertura oficial da Vila da Regata em Le Havre, no próximo dia 27 de outubro, marcará não só o início da Transat Jacques Vabre, mas também o fim das festividades pelos 500 anos de aniversário da Normandia, região da França mais atingida durante a Segunda Guerra Mundial. Para a semana que antecede a largada, uma série de animações e apresentações musicais estão programadas em Le Havre.

Três semanas mais tarde, é Salvador, na Bahia, que assumirá a responsabilidade de sediar a chegada da maior regata transatlântica dez anos desde a última vez que a cidade acolheu a travessia. O evento na capital baiana tem abertura ao público no dia 12 de novembro, no Terminal Turístico Náutico da Bahia, com animações ao longo de toda a semana. Nesse mesmo período, há previsão de chegada de dois terços dos 39 barcos participantes, entre eles os maiores barcos a vela de competição do mundo.

  Edição de alta performance

A Class40 (monocascos de 40 pés) é a mais numerosa desta edição, são 17 barcos participantes, seguida pela classe IMOCA (monocascos de 60 pés), com 13 inscritos. Pela Multi50 (multicascos de 50 pés), serão seis – dentre eles, veleiros que testarão pela primeira vez o uso dos fólios. Já pela classe Ultime, maiores barcos a vela de competição do mundo, três super trimarãs de alta performance estarão na disputa.

 

COM A PALAVRA


 

Xavier Mitjavila, presidente do grupo JDE França, dono da marca de café Jacques Vabre “Mais do que nunca, o café e a marca Jacques Vabre estarão presentes nesta 13ª edição. Foi com o intuito de recontar a história das antigas rotas marítimas do comércio do café que nós, ao lado da cidade de Le Havre, criamos esta que é hoje conhecida como a Rota do Café. É por esta razão que a Transat Jacques Vabre é a ocasião perfeita para fazermos o público conhecer e degustar a nossa marca e nossos diferentes grãos vindos de diferentes plantões de café mundo afora.”



 

 

Luc Lemonnier, prefeito de Le Havre “A história entre a Transat Jacques Vabre e Le Havre é antiga, pois a regata parte sempre da mesma cidade em um grande espetáculo. Este ano, no entanto, há um motivo ainda mais especial, tanto para os skippers, quanto para o público em geral. O evento encerrará as celebrações do 500º aniversário de Le Havre, razão para fazermos uma grande festa, já que o evento reafirma a vocação marítima de nossa cidade.”



 

 

José Alves, secretário de Turismo do Governo do Estado da Bahia “O fato de Salvador e Le Havre serem cidades históricas, ambas consideradas patrimônio da humanidade pela Unesco, só amplia a atratividade do evento. É uma oportunidade para estreitarmos ainda mais a nossa relação. Além disso, a regata vai colocar, mais uma vez, a Baía de Todos-os-Santos no cenário internacional.”




 

Cláudio Tinoco, secretário de Turismo de Salvador “Sabemos do potencial náutico da Baía de Todos-os-Santos e, por isso mesmo, estamos buscando trazer para a cidade grandes eventos internacionais, como é o caso desta que é a maior regata transatlântica do mundo. Estamos trabalhando ainda mais o turismo náutico e acreditamos que será um grande momento para a cidade.”



 

Maxime Sorel, V&B (Class40) “Será um novo local de chegada para nós. Queremos estar na linha de frente desde o início e nos mantermos entre os primeiros até o fim. Em 2015, a vitória escapou por uma hora! Nós nos preparamos muito, eu e o Antoine [Carpentier], disputamos todas as regatas dessa temporada. Nosso barco está evoluindo bem e, em boas condições, tem tudo para dar certo. ”




 

 Aymeric Chappellier, Aïna Enfance & Avenir (Class40) “Eu conheço o percurso por ter feito a Mini 6.50 e é uma grande regata, que reserva algumas surpresas pelo caminho e que deve ser levada a sério desde as primeiras milhas. A prova vai exigir nosso máximo, terá vários barcos novos com excelentes velejadores a bordo. A Class40, em especial, está permanentemente se renovando, há constantes evoluções. ”



 

 Erwan Le Roux, FenêtréA-Mix Buffet (Multi 50) “Esta será a primeira grande regata que faremos com o nosso barco Multi50 novinho em folha! Além da parte esportiva, esta Transat Jacques Vabre promete ser uma grande aventura. Nunca houve tantos velejadores competitivos. Vai ser super interessante acompanhar isso de perto no mar e também para quem fica em terra. Acredito que com o Vincent Riou, a soma das nossas experiências será muito importante. Nós dois vamos aprender muito um com o outro.”



 

Fabrice Amedeo, Newrest-Brioche Pasquier (IMOCA) “Esta será a minha segunda participação na Transat Jacques Vabre e eu vou estar mais no ataque do que na edição anterior, quando eu ainda estava descobrindo a regata. Portanto, fiquem ligados no nosso barco. Giancarlo Pedote está mais atento do que nunca e juntos nós vamos formar uma grande parceira, vamos dar tudo de nós!”



Isabelle Joschke, Generali (IMOCA) “Essa faz parte de uma das grandes regatas do circuito oceânico, ao lado da Route du Rhum e do Vendée Globe. É muito importante para mim poder participar, pois vai exigir a mesma performance de quando fiz o trajeto pela classe Mini 6.50 há 10 anos. O Brasil foi o meu primeiro destino quando atravessei o Atlântico. Além disso, também conheço Le Havre. Para a minha primeira competição na classe IMOCA neste ano, não poderia ser melhor!”



Jean-Pierre Dick, St Michel-Virbac (IMOCA) “Eu não ganho uma regata desde 2011 e quero dar tudo de mim para voltar a vencer. Temos uma boa dupla e um bom barco, há muitos elementos juntos que me deixam otimista. Teremos que acreditar em nossas chances até o fim e não cometer erros… Essa edição significa muito para mim. ”



Sébastien Josse, Maxi Edmond de Rothschild (Ultime) “Esta Transat Jacques Vabre vai cair como uma luva para o momento que estamos vivendo. Em primeiro lugar, é uma das regatas de que mais gosto, porque permite velejar com barcos de alta performance. Além disso, será também a ocasião para testarmos nosso novo trimarã ao lado dos demais concorrentes. Thomas Coville e Jean-Luc Nélias conhecem muito bem o barco deles, o Sodebo, o que significa que a disputa vai ser dura e, sobretudo, será o primeiro grande desafio para Thomas Rouxel e para mim juntos.”




Fonte – Flávio Perez

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>