Mercado – Porto de Itajaí – Rota da Ásia- “Serão 13 navios entrando e saindo de nosso terminal, mais contêineres, mais produtos e mais recursos para a nossa cidade” Prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni

 

João Souza com o apoio da APM Terminals Unidade de Itajaí.

João Souza com o apoio da APM Terminals Unidade de Itajaí.

Navio de 300 metros de comprimento atracou neste sábado.Com 300 metros de comprimento e 49 metros de largura, atracou hoje, 09, no berço dois arrendado pela APM Terminals no Porto de Itajaí, o navio de bandeira liberiana, SAN VICENTE, do Armador Hamburg Süd. A expectativa é de que sejam movimentados cerca de 700 TEUs (Twenty-foot Equivalent Unit) – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés de comprimento.

O anúncio de retorno do serviço de linhas da Ásia foi divulgado no início de julho pela APM Terminals Itajaí. Diversos fatores foram fundamentais para a volta dos grandes navios que compreendem a rota Ásia-Itajaí, como: mercado competitivo, eficiência na operação de cais, nível de satisfação por parte dos clientes exportadores e importadores, soluções logísticas com valor agregado para armadores e demais usuários, entre outros.

“A chegada deste navio é muito simbólica para Itajaí. Comprova mais uma vez a competência da nossa operação, amplia oportunidades de negócio par a cidade e impulsiona as atividades de comércio exterior das indústrias da região. É um marco que celebramos com orgulho e entusiasmo, tendo a certeza que beneficiará todos os nossos clientes”, destacou Ricardo Arten, Diretor Superintendente da APM Terminals no Brasil.

A linha de serviço estará em atividade portuária na margem direita do porto público através de 13 navios porta-contêineres dos armadores Hapag Lloyd, NYK, Hamburg Sud, ZIM, UASC e HMM e atualmente sua conexão de rota engloba semanalmente a Costa Leste da América do Sul aos mercados da Malásia, Singapura, China e Coréia do Sul.

 

 

IMG_0198

“É um processo gradual. Primeiro tivemos que nos esforçar diariamente quanto aos serviços de dragagem, em buscar a profundidade de calado necessária para dar segurança ao complexo quanto à atividade de movimentação dos navios, e, neste caminho, estamos dando continuidade às obras da Bacia de Evolução, mantido os prazos para abril de 2018, sinalizando no futuro a possibilidade de receber navios maiores. E agora nessa etapa, receber novamente a linha da Ásia, que já não operava em nossa área do porto público por dois anos, nos deixa honrados e agradecidos pelo empenho e esforço da APM Terminals Itajaí em resgatar esse serviço. Também temos que agradecer a todos os Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs), pois com o apoio deles também podemos mostrar a qualidade operacional do Porto de Itajaí em fazer a diferença neste mercado em que a concorrência está muito acirrada”, lembrou o Superintendente do Porto de Itajaí, Engº Marcelo Werner Salles.

“A volta de linha Ásia é extremamente importante neste processo de retomada do crescimento do Porto de Itajaí. Serão 13 navios entrando e saindo de nosso terminal, mais contêineres, mais produtos e mais recursos para a nossa cidade”, comemora o Prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni.

Com o retorno do serviço da linha Ásia disponível ao porto público, a expectativa é de que os volumes aumentem em 20% e, a partir de abril de 2018, poderão alcançar até 40% de crescimento comparado à movimentação mensal atual.

Isso porque, até abril do ano que vem, as escalas vão ser quinzenais, já que seis dos 13 navios operados pela linha têm mais de 306 metros de comprimento e ainda não podem ser manobrados no Complexo Portuário do Itajaí. Assim que a primeira fase da Bacia de Evolução for concluída, prevista para abril de 2018, o roteiro de atracações deverá ser de escala semanal. O potencial é de que, a partir disso, mais 4 mil contêineres sejam movimentados mensalmente pelo terminal.

“Fica garantida e mantida a continuidade desta linha para o complexo portuário de Itajaí, mais precisamente para o Porto de Itajaí. Com isso amplia-se a movimentação de cargas no cais dando credibilidade a cadeia logística concentrada na margem direita do porto e conseqüentemente prioriza o segmento de mão de obras avulsa (TPAs). Melhor ainda será esta movimentação em 2018 após a conclusão das obras da Bacia de Evolução, o que nos dará a oportunidade de receber navios maiores de até 336 metros que fazem parte deste serviço”, concluiu Heder Cassiano Moritz, Assessor de Direção da Superintendência do Porto de Itajaí.


 

Fonte -Luciano Sens.



 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>