Ilhabela encerra a XIV Copa Suzuki Jimny de Vela Oceânica final de semana

Retornando da raia, as tripulações terão à disposição a tradicional canoa de cerveja, com degustação da marca Therezópolis, na varanda do YCI, que será incrementada novamente pelo sashimi trazido pelos competidores do Campeonato de Pesca Oceânica do YCI, que também está sendo realizado neste final de semana.

Ilhabela

Largada em Ilhabela- Marcos Méndez/SailStation

Técnica e esforço pela vitória nas regatas no Canal de São Sebastião. Confraternização e planejamento para 2015. Ilhabela encerra a XIV Copa Suzuki Jimny de Vela Oceânica no próximo final de semana (6 e 7/12) com ações e emoção dentro e fora da água. O sábado (6) será um dia especial para os velejadores. Além das disputas decisivas, após as regatas haverá uma série de atrações no Yacht Club de Ilhabela (YCI).
Retornando da raia, as tripulações terão à disposição a tradicional canoa de cerveja, com degustação da marca Therezópolis, na varanda do YCI, que será incrementada novamente pelo sashimi trazido pelos competidores do Campeonato de Pesca Oceânica do YCI, que também está sendo realizado neste final de semana. Em meio à confraternização, será feita a entrega do Troféu Dia do Marinheiro aos velejadores do Montecristo, Fita Azul (primeiro no tempo real) da Regata Volta à Ilha – Sir Peter Blake no último sábado (29/11), pela Capitania dos Portos de São Sebastião. Haverá ainda sorteio da Wind Charter, de Paraty, de dois dias de velejada em um Sun Odyssey 439 para uma tripulação. Em seguida os velejadores acompanharão a palestra ‘Mussulo III – Regatas e Travessias Oceânicas’, apresentada pelo comandante José Guilherme.
O penúltimo dia da etapa final da Copa Suzuki Jimny ainda terá a festa de encerramento da temporada, a partir das 20h30, na Pousada Armação dos Ventos, reduto de velejadores na Capital Nacional da Vela. “Será um dia inteiro dedicado à vela e outras atividades programadas especialmente aos velejadores. Espero que prevaleçam as vontades de velejar e de celebrar a competição de 2014 em clima de amizade e alegria em respeito ao nosso esporte predileto”, recomenda o diretor da Comissão de Regatas, Cuca Sodré.
Equilíbrio na classe C30 nas regatas finais – A Regata Volta à Ilha – Sir Peter Blake disputada no último fim de semana trouxe emoção à classe considerada das mais competitivas da vela oceânica brasileira. Com a flotilha de seis barcos velejando por mais de seis horas praticamente lado a lado, o Caballo Loco venceu apertado e reduziu para quatro pontos a diferença em relação ao líder CA Technologies (19 a 15). O terceiro colocado, Caiçara Porsche, corre por fora, matematicamente.
“Apesar de termos velejado muito bem e vencido a Volta à Ilha, a situação ainda é favorável ao CA Tecnologies. Teríamos de vencer as últimas três ou quatro regatas para alcançá-los na pontuação”, analisa o comandante do Caballo Loco, Mauro Dottori. “Obtivemos excelente média de 7.4 nós de velocidade contornando Ilhabela. Também conseguimos ótimo desempenho quando colocamos o balão (vela para vento em popa)”.
O comandante do CA Technologies, sempre favorito na classe C30, ouve as afirmações do adversário, enquanto comenta as aventuras da Volta à Ilha e adota a cautela. “A regata foi muito boa, chegamos ao pico de 22 nós na descida de um ‘ondão’, mas em relação ao campeonato não tem nada decidido. Não podemos vacilar. Temos de esquecer a vantagem e velejar nas últimas regatas como sempre fizemos”, propôs Marcelo Massa querendo afastar os riscos. “A diferença do barco do Marcelo para os demais era muito grande. Hoje está reduzida porque as outras tripulações estão aprendendo a velejar”, destaca Mauro.
Satisfeitos com o rendimento de seus barcos e de suas tripulações, os dois comandantes enaltecem a progresso da classe na vela brasileira. “A classe está muito unida e super bem organizada. Temos inclusive estatuto na CBVela. Sabemos que não é um barco de passeio. É para quem quer treinar e gosta de competir, reforça Mauro. Para Marcelo o mais importante é investir na qualidade técnica. “Não precisa ser necessariamente um velejador profissional. Aqui mesmo (Ilhabela) há vários caiçaras com muito potencial. É preciso oferecer-lhes oportunidade para treinar”, sugere Marcelo.
A flotilha de C30 conta hoje com nove barcos no País, sendo que seis deles estão em São Paulo e disputam a XIV Copa Suzuki Jimny. “O que podemos verificar ano a ano é o crescimento do nível técnico porque houve investimento em tripulação. A C30 está consolidada. Dá para contar nos dedos as classes oceânicas que possuam esse número de embarcações”, orgulha-se Marcelo Massaa , um dos maiores incentivadores da C30.
Disputa forte – Na ORC, o panorama se repete. Com a vitória na Volta à Ilha, o Orson, comandado por Carlos Eduardo Souza e Silva, entrou na briga direta pelo título da temporada com o Lexus/Chroma, de Luis Gustavo de Crescenzo. Se repetir a perfornance neste final de semana ganhará a classe na Copa Suzuki Jimny.
“Estamos aproveitando a quarta etapa para finalizar os treinos para buscar o bicampeonato sul-americano no Circuito Rolex Atlantico Sur, em janeiro, em Punta del Este”, informa o comandando do Orson.
A Copa Suzuki Jimny/XIV Circuito Ilhabela de Vela Oceânica é organizada pelo Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio máster da Suzuki Veículos e co-patrocínios de SER Glass e F7 Blindagens. Apoiam o evento: Prefeitura Municipal de Ilhabela, North Sails, Pousada Armação dos Ventos, Rádio Antena 1 Litoral Norte, Revista Mariner, Mar&Vela, Sail Station.com e Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião.
Fan page no Facebook – A Copa Suzuki Jimny tem página no Facebook para divulgar as informações sobre a competição, velejadores e classes. Além disso, o espaço na internet é um ponto de encontro virtual para atletas, árbitros e fãs da modalidade. Para curtir e ter acesso às atualizações, basta acessar o Facebook e digitar Copa Suzuki Jimny – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica.