Frente fria entra ‘pra valer’ na abertura da 45ª Semana de Vela de Ilhabela

A 45ª Semana de Vela de Ilhabela começou com ventos fortes, acima de 30 nós, na manhã deste sábado (21). A principal competição da modalidade no País reúne 120 barcos de oito categorias.

A entrada da frente fria prevista no litoral norte paulista resultou em quebras e adiamento da regata para algumas classes. Apenas os veleiros maiores foram para Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, em condições extremas, com ventos acima de 30 nós e mar bastante agitado.

Até a balsa São Sebastião – Ilhabela teve sua operação interrompida por horas por causa da entrada da frente fria. A temperatura caiu de quase 30 graus para 24, podendo chegar a 19 no fim do dia.

A classe C-30, por exemplo, não correu a Toque-Toque por Boreste por exceder o limite máximo de 25 nós de vento permitido para a categoria.

Por segurança também, a regata Renato Frankhental, exclusiva para o HPE25, foi cancelada!

”Decisão acertada de adiar a regata para garantir a segurança dos velejadores! O mar estava muito pesado para os barcos menores. Os que foram para Alcatrazes devem estar adorando”, disse Mauro Dottori, diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela e comandante do Caballo Loco (C-30).

O Asbar foi um dos barcos que desistiram por problemas técnicos da regata. Uma das velas teve um rasgo que comprometeu a continuidade na prova mais longa do calendário da Semana de Vela de Ilhabela.

”Entrou um vento mundo forte, que estava previsto. A genôa foi praticamente arrancada da posição dela. O moitão que segura toda a vela mestra estava pra quebrar. O Asbar não aguenta vento de 30 nós”, Sérgio Klepacz, comandante do Asbar II.

Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil

Após o tradicional desfile dos barcos na frente do píer da vila, os barcos se posicionaram para a largada das três regatas de longo percurso da Semana de Vela de Ilhabela.

A Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil largou às 11h10 com os barcos usando a vela de popa ou balão. Literalmente foi um início a favor do vento!

Dynos (antigo Sessentão), Itajaí Sailing Team, Montecristo e Pajero conseguiram ser os mais rápidos quando a frente fria entrou.

O Montecristo foi o primeiro a passar por Alcatrazes para as 55 milhas de regata. ”Sempre uma honra velejar com amigos e montar Alcatrazes é uma emoção. Festejamos, mas vamos continuar velejando forte para conseguir um bom resultado”, comemorou Marcelo Bellotti, tático do Montecristo.

Os veleiros mais rápidos devem terminar a Alcatrazes ainda neste sábado (21) e o resultado em tempo real pode ser acompanhado por meio do spotagora.

O Instagram @SVILHABELA transmitiu ao vivo o desfile dos barcos. Clique nos stories para ver a cobertura em tempo real.

O mar estava agitado e as rajadas de vento ainda no Canal de São Sebastião ficaram acima de 60km/h. Só às 12h52, os barcos da Toque-Toque estrearam na competição.

C-30 e HPE não largaram por causa das condições climáticas. Alguns veleiros da categoria Clássicos voltaram, caso do Baforada 3. ”Decidimos voltar por segurança. A coisa estava feia! Fica para as próximas, temos segunda, terça, quarta, quinta…Vamos guardar para as próximas”, disse Sylvestre Santos.

O NSS Felinto Perry (K-11), navio de socorro submarino da Marinha do Brasil, acompanhou a flotilha e participou do desfile.

Clique aqui e ouça o PODCAST sobre meteorologia da Semana de Vela de Ilhabela

A previsão é que uma nova frente fria entre em Ilhabela (SP) na próxima terça-feira (24).



 

Ihabela