Etapa final da Volvo Ocean Race começa na Suécia

 

Leg 11, from Gothenburg to The Hague, day 01 on board MAPFRE. 21 June, 2018./Ugo Fonolla/Volvo Ocean Race

Leg 11, from Gothenburg to The Hague, day 01 on board MAPFRE. 21 June, 2018./Ugo Fonolla/Volvo Ocean Race

Perna entre Gotemburgo (Suécia) e Haia (Holanda) terá mais de 700 milhas. Barcos devem contornar bóia em Aarhus (Dinamarca) antes de descer para o porto holandês. Título está entre MAPFRE, Team Brunel e Dongfeng Race Team

Para comemorar a história da prova, 12 lendários barcos que participaram em sete das anteriores edições, reuniram-se para uma regata histórica. Eles partem de Gotemburgo até Haia

Perna entre Gotemburgo (Suécia) e Haia (Holanda) terá mais de 700 milhas. Barcos devem contornar bóia em Aarhus (Dinamarca) antes de descer para o porto holandês. Título está entre MAPFRE, Team Brunel e Dongfeng Race Team

A última etapa da Volvo Ocean Race 2017-18 teve início na manhã desta quinta-feira (21) em Gotemburgo (Suécia). A perna decidirá o campeão da temporada. O espanhol MAPFRE e o holandês Team Brunel estão empatados com 65 pontos. O chinês Dongfeng Race Team tem um a menos! A regata final terá mais de 700 milhas com contorno de bóia em Aarhus (Dinamarca).

O sprint de Gotemburgo para Haia teve o Dongfeng Race Team com melhor desempenho no início, mas a regata pelo Mar do Norte ainda está em aberto. Os times estão subindo para a Dinamarca antes de retomar o rumo para a Holanda.

“Estou animado e é o tipo de etapa que eu realmente gosto”, disse Charles Caudrelier do Dongfeng Race Team. ”Estamos prontos para a luta e sabemos que será uma grande disputa”.

 A previsão indica que os barcos devem chegar em Haia até o domingo (24).

”É uma decisão incrível com três barcos disputando o título. Todos têm as mesmas chances! Cobrir um barco no mar já é difícil, imagina dois. Então vamos fazer a nossa regata”, disse o campeão olímpico Xabi Fernández, comandante do MAPFRE. A equipe espanhola tem vantagem do desempate por ter vencido o campeonato paralelo das regatas locais.

Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race

Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race

O Team Brunel de Bouwe Bekking é a equipe que vem com melhor desempenho nas últimas regatas. Venceu três das últimas quatro etapas. ”Acreditamos que podemos vencer. É a minha oitava volta ao mundo! Acredito que podemos vencer os dois barcos vermelhos”.

Leg 11, from Gothenburg to The Hague, Day 1 on board Brunel. Bouwe bekking leaves Gothenburg. 21 June, 2018./Sam Greenfield/Volvo Ocean Race

Leg 11, from Gothenburg to The Hague, Day 1 on board Brunel. Bouwe bekking leaves Gothenburg. 21 June, 2018./Sam Greenfield/Volvo Ocean Race

Há outra batalha por classificação! O SHK / Scallywag de David Witt tem um ponto de vantagem sobre o Turn on Tide on Plastic de Dee Caffari. A briga é pela sexta colocação.

”A perna será a mais rápida, gerindo as transições, tendo as velas certas, fazendo as escolhas certas”, disse Charles Caudrelier. “É um teste completo. Teremos todos os tipos diferentes de ângulos de vento”.

O caminho da 11ª etapa leva as embarcações para oeste, para fora das ilhotas que estão perto de Gotemburgo, antes de virar para o norte e seguir para uma bóia na costa da Noruega. Depois tem um mergulho para sul para rondar uma bóia perto da cidade dinamarquesa de Aarhus.

Numerosas opções táticas estão em jogo durante toda a etapa, com a previsão do tempo prometendo ventos fortes no começo e condições mais leves perto do final no domingo.

Classificação Geral das In-Port Series da Volvo Ocean Race, após a 10ª regata

  1. MAPFRE – 65 pontos
  2. Team Brunel – 65 pontos
  3. Dongfeng Race Team- 64 pontos *
  4. team AkzoNobel – 53 pontos
  5. Vestas 11th Hour Racing – 38 pontos
  6. SHK / Scallywag – 30 pontos
  7. Turn the Tide on Plastic – 29 pontos

Fonte – Flávio Perez – Onboardsports