Cetáceos – Balneário Camboriú – Baleias francas aparecem na Praia do Estaleirinho

 

SecomPMBC

SecomPMBC

 

Duas baleias francas movimentaram a praia do Estaleirinho, em Balneário Camboriú, nesta quarta-feira (30). Os cetáceos procuram o litoral catarinense nesta época do ano para terem os filhotes e amamentá-los.

A primeira informação sobre os animais era de que eles estavam presos em rede de pesca. O Grupo de Proteção Ambiental, formado por Guardas Municipais da Prefeitura de Balneário Camboriú, deslocou-se até a praia após um chamado feito às 8h16 pelo 153. Como visualmente não era possível saber se as baleias estavam realmente presas, a Guarda Municipal acionou o Corpo de Bombeiros, que possui lancha, a Polícia Militar Ambiental e o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos. A Secretaria do Meio Ambiente (Semam) também esteve no local.

Segundo a supervisora da Guarda Municipal, Tássia Bruna Carvalho, os animais não estavam presos, mas havia rede de pesca próximo a eles. Por volta do meio-dia, os cetáceos se afastaram da praia. No entanto, é possível que eles voltem ao lugar.

Conforme a médica veterinária do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos, Adriane Steuernagel, provavelmente as baleias eram mãe e filhote. “É grande a possibilidade de serem mãe e filhote, porque as baleias francas vêm para cá para ficar próximo à arrebentação e poupar energia, porque estão alimentando os filhotes e se protegerem dos predadores. Elas estavam no local que deveriam estar”, comenta.

Adriane ressalta que os animais estão bem e que não devem ser afugentados dali. A médica veterinária orienta que redes sejam retiradas do local e que embarcações não se aproximem dos animais. Aproximar-se de qualquer espécie de baleia com motor engrenado a menos de 100 metros de distância do animal é crime ambiental. No entanto, observar os animais do costão não os incomoda, segundo Adriane.

De acordo com o site www.baleiafranca.org.br, do Projeto Baleia Franca, no fim do verão, as baleias francas deixam as áreas de alimentação nas latitudes mais frias e buscam as regiões costeiras onde se concentram para o acasalamento, a parição e amamentação dos filhotes nascidos no ano subsequente à fecundação. De grande porte, as fêmeas, maiores que os machos, podem ter mais de 17 metros de comprimento e pesar mais de 60 toneladas. O corpo delas é negro e arredondado, com manchas brancas irregulares no ventre.

A orientação para a população que observar algum animal marinho em possível situação de perigo é acionar o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos pelo 0800 642 3341.


Fonte – Secom PMBC


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>