Boxe: Top Rank coloca Triplo G e Canelo no caminho de Esquiva Falcão

Foto: Flavio Perez/On Board Sports

Foto: Flavio Perez/On Board Sports

O brasileiro Esquiva Falcão recebeu uma importante confirmação da Top Rank, empresa que promove suas lutas.

Esquiva Falcão pode enfrentar o cazaque Gennady Gennadyevich Golovkin, mais conhecido como Triple G ou o mexicano Canelo Alvarez, atual campeão dos médios.

Isso porque o japonês Ryota Murata não aceitou a revanche olímpica de Londres 2012.

”O Murata está olhando para o Triplo G. Ele me disse que já ganhou de Esquiva Falcão na Olimpíada e não quer a revanche. Não podemos forçar…Mas se [Esquiva] Falcão mantiver seu desempenho vai lutar pelo cinturão em 2019. Eu te prometo”, explicou Bob Arum.

Mas para que 2019 seja o ano de Esquiva Falcão campeão mundial, o brasileiro precisa confirmar o favoritismo e vencer o argentino Guido Nicolas ‘Chico’ Pitto. A luta será neste sábado (22), no MGM Park, em Las Vegas, Estados Unidos.

Esquiva Falcão está invicto com um cartel de 21 vitórias e 15 nocautes.

”Estou chegando para ficar e ser campeão. Os caras estão com medo de Esquiva Falcão. Quero ser campeão do mundo e ninguém vai me parar”, disse Esquiva Falcão.

”Pode rolar a luta com Canelo ou Triplo G em 2019. Isso vai sacudir o boxe brasileiro”, finalizou Esquiva.

Sobre a luta Brasil x Argentina

A pesagem será na sexta-feira (19)! Esquiva Falcão e Guido Pitto devem bater no máximo 72,5kg, limite da categoria dos médios.

O argentino Guido Nicolas Pitto tem 32 lutas, com 25 vitórias, 5 derrotas e 2 empates. Veja o cartel.

Já o brasileiro segue invicto como profissional, com 21 vitórias, sendo 15 pela via do nocaute. Saiba tudo sobre o brasileiro aqui.

”É um adversário bem experiente. Com bastante resistência. Já lutou 12 rounds. É argentino e vocês sabem, né? Argentino tem sempre aquela manha…Nos primeiros rounds deve oferecer dificuldades! Deve querer jogar na distância, pois é um pouco mais alto. Estou preparado pra nocautear, mas se for pra 10 rounds será bom também pra testar minha resistência”, completou Esquiva.