Itajai – Volvo Ocean Race – Torben Grael tem boas lembranças do tempo em que velejou no barco do Itajaí Sailing Team

 

Torben Grael relembra os bons momentos que teve com o barco, hoje usado pela equipe representante de Itajaí no cenário brasileiro da vela/Marcos Porto/SecomPMI

Torben Grael relembra os bons momentos que teve com o barco, hoje usado pela equipe representante de Itajaí no cenário brasileiro da vela/Marcos Porto/SecomPMI

 

Ícone da vela no Brasil, Torben Grael relembra os bons momentos que teve com o barco, hoje usado pela equipe representante de Itajaí no cenário brasileiro da vela, e tem excelentes expectativas com relação ao esporte em Itajaí.

Embaixador do Stopover Itajaí da edição 2017-18 da Volvo Ocean Race e maior nome da vela no Brasil Torben Grael, fala da importância de iniciativas como a formação do Itajaí Sailing Team para a vela no Brasil e relembra bons momentos da época em que o barco do time embaixador da vela de Itajaí foi seu. Além de ser o velejador olímpico mais bem-sucedido do Brasil, com cinco medalhas, sendo duas de ouro, Torben participou da Volta ao Mundo por três vezes, ganhando a edição 2008-09 como comandante da Ericsson 4. Hoje sua filha, Martine Grael, disputa a regata de volta ao mundo com o Team AkzoNobel.

“Tenho um relacionamento com os barcos bastante afetuoso e é muito bom você ver um barco que foi seu ser tratado com tanto cuidado, usado de uma maneira tão boa e tendo um grande desempenho em nível nacional”, diz Torben. Ele foi proprietário do barco por cerca de cinco anos e, desse período, guarda grandes lembranças. “Foram muitas as alegrias a bordo desse veleiro. ”

Entre as principais conquistas estão algumas etapas da Soto 40 com toda a família – Torben, Andrea e os filhos Martine e Marco, que era o timoneiro. “Foi muito gostoso, fomos vice-campeões dois anos e também fizemos uma regata Refeno com ele, que foi muito bacana. A família toda curtiu muito o barco e temos ótimas memórias. ”

Torben destaca ainda a iniciativa do Itajaí Sailing Team em resgatar a vocação náutica do município e vê Itajaí como um novo polo de vela no Brasil. “Aqui tem a Volvo Ocean Race e com uma marina fantástica que dá apoio a essa equipe formada na cidade e participa das principais regatas do calendário nacional da vela. Isso é muito bom. ”

O veleiro que foi da família Grael e hoje pertence ao Itajaí Sailing Team é um Soto 40, considerado um dos mais rápidos da classe Oceano. O barco tem 12,30m de comprimento, 3,75m de largura, 2,60m de calado, pesa 4,2 toneladas e tem um mastro com 19,5 metros contados a partir da linha d´água. É um barco planador que apresenta grande performance nos ventos de popa (parte traseira do barco) e través (tomada lateral). Inclusive, algumas vezes, chega a velejar acima da velocidade do vento.

A embarcação é uma concepção do consagrado projetista náutico argentino Javier Soto Acebal e construído no estaleiro MBoats, em Buenos Aires, na Argentina. A equipe do Itajaí Sailing Team é comandada pelo também atleta olímpico Marcelo Gusmão Reitz.

O projeto Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Portonave, Multilog, JBS, Brasfrigo e o apoio da Anasol, Molim Clindex e Marina Itajaí.


 

Fonte  – João Henrique Baggio